Águas do Agro busca sustentabilidade do meio rural com preservação de solo e água

A retirada de espécies de vegetação exóticas em Áreas de Preservação Permanentes (APPs) no Estado do Paraná podem ser solicitadas através de Requerimento de Licença Ambiental, através da modalidade de Licença por Adesão e Compromisso (LAC). - Curitiba, 19/05/2021 - Foto: Arquivo SEDEST

Lançado em outubro passado, o programa Águas do Agro foi o tema do Direto ao Ponto deste domingo (21). De acordo com a coordenadora-geral de Conservação do Solo e Água do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Soraya Carvalho, a iniciativa tem como objetivo promover o desenvolvimento sustentável e econômico do meio rural por meio do fomento da adoção de práticas de preservação de solo e água.

“Hoje os produtores já adotam muitas tecnologias de conservação do solo e da água, mas nem sempre da maneira correta considerando a propriedade como um todo, considerando as características de solo e a intervenção que ele faz dentro da propriedade, o impacto que tem nas outras propriedades vizinhas e também na microbacia e por, conseguinte, na disponibilidade hídrica nas bacias onde esses produtores se encontram”, disse a coordenadora.

Entre as tecnologias que poderão ser adotadas estão: terraceamento, curva de nível, plantio direto, manejo de pastagem, plantas de cobertura, rotação de cultura e barraginhas. Além disso, aspectos da região e da propriedade serão analisados e tratados, como as estradas vicinais, em que se buscará “trazer a questão conservacionista para construção e readequação das estradas vicinais”, e também as reservas legais e as Áreas de Preservação Permanente (APP).

No entanto, a representante da pasta da Agricultura ressalta que cada propriedade terá que ser analisada de forma particular e contará com um projeto próprio.

“Uma das ações do programa é a assistência técnica. Nós vamos investir pesado na capacitação desses técnicos que serão contratados pelo programa para atuar num planejamento propriedade a propriedade. [Também] junto às prefeituras. Nós vamos atuar na capacitação dos operadores das máquinas [que fazem as estradas]”, conta Soraya Carvalho.

Segundo ela, o ponto mais importante do Águas do Agro é conscientizar o produtor de que a forma como ele gerencia essas práticas afeta não só a propriedade dele, mas de todos à volta e a microbacia hidrográfica.

“Qual é o maior patrimônio que o produtor tem? É o solo e água. Sem isso, o produtor não vai conseguir atingir os níveis de produtividade nem na agricultura e nem na pecuária”.

Irriga Mais

Ainda durante o Direto ao Ponto, a convidada disse que o Mapa prepara um programa voltado para a agricultura irrigada, o Irriga Mais, que deve ser lançado em breve. “Está para ser lançado o ano que vem o programa Irriga Mais, onde nós vamos ter o fomento ao manejo correto das áreas de irrigação”.

Segundo ela, os dois programas podem ser complementares e o resultado será uma maior produção. “Nós podemos aumentar a eficiência desse uso [da água] e podemos aumentar o número de propriedades com irrigação de maneira eficiente, sem que haja algum problema de desabastecimento de água”.

Canal Rural

voltar
© Copyright 2019