Assembleia instala comissão para analisar medidas de segurança no RS

Foi instalada na tarde desta segunda-feira (12) a Comissão Especial de Segurança Públlica na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Nos próximos quatro meses, os parlamentares vão trabalhar para apontar soluções para diminuir a violência no estado.

A comissão, que será presidida pelo deputado Ronaldo Santini (PTB), deverá apresentar um relatório com sugestões de medidas a serem implementadas pelo governo.



Presente no lançamento, o secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, confirmou o início da obra do primeiro centro de triagem de presos, em Porto Alegre. A medida é uma alternativa para evitar que pessoas detidas pela Brigada Militar aguardem vagas no sistema prisional em viaturas ou delegacias.“Hoje [segunda] ou amanhã [terça], o Exército começa a construção do primeiro dos centros que eu havia prometido, no instituto psiquiátrico. Logo outras ações vão começar a aparecer. A burocracia e outras dificuldades retardam o calendário, mas o importante é que as ações estão acontecendo”, disse Schirmer na solenidade, em entrevista à rádio Gaúcha.



Ele também enalteceu a iniciativa dos parlamentares em buscar soluções para o problema da violência no estado. "A expectativa que o governo tem é que a Assembleia possa traçar políticas públicas que transcendam governos, linhas que passem por esse e pelos próximos governos, para alcançar vitórias significativas no Rio Grande do Sul", argumentou o secretário.

Estado registra 676 assassinatos em 2016

Também nesta segunda-feira, a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul (OAB-RS) promoveu o 1º Encontro Gaúcho Pela Segurança Pública no auditório da entidade, na capital. Foram convidados a participar especialistas de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco, os três estados que mais reduziram seus índices de violência entre 2004 e 2015.

A ideia é usar esses exemplos para diminuir a incidência de criminalidade no estado. Em 2011 foram 366 assassinatos registrados na capital gaúcha. Em 2016, este número saltou pra 676. Um aumento de mais de 84%.

O último mês foi o novembro mais violento em seis anos. Foram 71 homicídios em apenas 30 dias, uma média superior a duas mortes violentas por dia. A maioria tem ligação com o tráfico de drogas.



"Não é um ato político. A política falhou ao longo dos anos no estado do Rio Grande do Sul nesse tema da segurança pública. Chegamos em um caos violento", afirmou o presidente da OAS-RS, Ricardo Breier em entrevista ao Jornal do Almoço nesta segunda (assista abaixo no vídeo).

"As estruturas policiais estão sucateadas, presídios sem vagas e os institutos de perícias, responsáveis por esclarecimentos de crimes, estão defasados e sem qualquer estrutura", completou.

G1 RS

voltar
© Copyright 2019