Bolsonaro diz que mudanças em ministérios visam fortalecer relação com Congresso

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta terça-feira que as mudanças nos comandos de ministérios visam fortalecer relação do governo com o Parlamento. Segundo ele, o ex-ministro da Cidadania, deputado Osmar Terra (MDB-RS), retorna ao Congresso para fortalecer as relações do governo com o parlamento. “(Presidente do Senado) Davi Alcolumbre, precisamos fortalecer o nosso relacionamento e Osmar Terra nos ajudará muito nessa missão. Ele sai do ministério vitorioso”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro elogiou o novo ministro da Casa Civil, general Walter Souza Braga Netto, segundo ele, “mais que um bom militar, um bom cidadão”. Também agradeceu a disposição do ex-ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em trocar “o número da camisa” para assumir o Ministério d Cidadania.

“A vida se faz de momentos, e esse vai marcar a vida de muitos. Essa mudança (de ministérios) marcará o destino do Brasil. Nossa responsabilidade é enorme. Se hoje mexemos no tabuleiro de xadrez, é com a certeza de que nenhuma peça será deixada de lado”, afirmou. “É difícil tomar uma decisão, mas pior que não tomar uma decisão é uma decisão má tomada”, completou.

Durante o discurso de posse dos ministros, Bolsonaro voltou a defender o projeto regularização de garimpo e outras atividades em terras indígenas. Segundo ele, a proposta poderá finalmente “unificar a Amazônia”, mandando assim uma mensagem ao exterior.

“Nós não queremos e eles (índios) não querem mais ser tutelados pelo Estado. Muitos vivem hoje de projetos sociais e querem se integrar. Essa é uma forma de dizermos para o mundo que não há divisões entre nós, que somos todos iguais. Somente incluindo e integrando a Amazônia poderemos dizer que o Brasil é um país de 8 milhões de quilômetros quadrados. Devemos apresentar propostas que nos coloquem em lugar de destaque no mundo”, completou.

voltar
© Copyright 2019