Caxias do Sul enfrenta situação de infestação do Aedes aegypti

Com o retorno do calor, época de maior reprodução do Aedes aegypti, a Vigilância Ambiental em Saúde de Caxias do Sul pede para que a população redobre os cuidados de combate ao mosquito, identificando e eliminando possíveis criadouros do inseto nas suas casas. O município enfrenta situação de infestação. Somente neste ano foram identificados 180 focos do mosquito, crescimento de 566% em relação ao ano anterior, que contabilizou 27.

Nos últimos dias, os agentes de combate às endemias realizaram tratamento perifocal em vários bairros da cidade. Também foram recolhidos pneus abandonados em vias públicas. Além da dengue, o Aedes aegypti é transmissor de zika vírus e chikungunya.

Periodicamente, os agentes de combate às endemias realizam ações de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, mas é necessária a cooperação da população para que a eliminação se torne eficaz. “Precisamos, mais uma vez, conscientizar a população sobre a situação de infestação do município. É preciso observar os pátios e não deixar nenhum objeto que possa virar criadouro exposto para cima. O único jeito de combater é eliminando possíveis criadouros. O verão é a época de reprodução do mosquito, mas não podemos descuidar em nenhum momento do ano. Faltam menos de dois meses para acabar o ano e precisamos agir para que 2022 não tenha todos esses números de focos”, explica a diretora técnica da Vigilância Ambiental em Saúde, Sandra Tonet.

CP

voltar
© Copyright 2019