Com dois gols de Ramiro, Grêmio vence o Botafogo na estreia

O bom futebol voltou na hora certa. A energia acumulada ao longo de 11 dias de treinamento deu ao Grêmio energia para se impor ao Botafogo, neste domingo, na Arena, na arrancada no Brasileirão. Em atuação iluminada, Ramiro construiu a vitória de 2 a 0.

O Grêmio teve marcação adiantada, rapidez na troca de passes e permanente ambição para finalizar. Sem Edílson, Léo Moura foi lateral direito e Renato surpreendeu ao usar Arthur como meia, adiantando Ramiro, que se converteu no personagem do jogo. A mecânica só não funcionou melhor pelas oportunidades perdidas em excesso por Luan.

O Grêmio pressionou desde o início. Já a cinco minutos, dentro da área, Geromel tentou por cobertura e Gatito Fernández pegou. O time parecia disposto a dar uma satisfação aos torcedores depois da eliminação no Gauchão. A seis minutos, Barrios, de boa participação coletiva, desarmou João Paulo, e serviu a Luan, que desperdiçou ao chutar sem força, nos pés de Gatito, já dentro da área. Ouviram-se, das cadeiras, os primeiros sinais de descontentamento com o atacante pretendido pelo inglês Liverpool.

O Botafogo tentou reagir, mas conseguiu, no máximo, um cabeceio com o centroavante Roger. Era nas bolas aéreas que o time de Jair Ventura apostava. Michel, de atuação segura, tentou o arremate aos 18 minutos, mas sem maior perigo. Aos 20, Arthur acionou Pedro Rocha e o chute, rasante, foi defendido a custo por Gatito. O gol foi outra vez esboçado a 30 minutos, em jogada de alta classe. Lucas Barrios fez passe de calcanhar para Luan, que, após dois dribles, chutou muito alto, para nova manifestação de sagrado da torcida.

Acuado, o Botafogo teve uma oportunidade com Pimpão, mas o chute desviou em Marcelo Oliveira e foi a escanteio. A resistência, por fim, caiu aos 45 minutos. Lançado por Michel, Léo Moura cruzou do limite do gramado. Depois de tentativas de Lucas Barrios e Pedro Rocha, defendidas por Gatito e Marcelo, Ramiro, por fim empurrou para dentro: 1 a 0.

O Grêmio ainda acelerou mais na segunda etapa. A dois minutos, bonita combinação entre Pedro Rocha, Marcelo Oliveira e Luan, que tentou sem sucesso por cobertura. Luan seguiu tentando. Aos sete, o arremate foi defendido por Gatito. O domingo, porém, era de Ramiro. A oito minutos, de novo como um atacante, após rebatida de João Paulo, ele bateu na direção do gol e a bola ainda desviou em Luan antes de entrar, para reclamação dos jogadores do Botafogo, que alegaram toque do atacante: 2 a 0 e vitória assegurada com muita antecipação.

Ainda que o Botafogo tivesse recorrido a Guilherme para ganhar agressividade, o Grêmio correu poucos riscos. E até poderia golear se a noite de Luan não fosse tão infeliz. A 28 minutos, Arthur abriu a Léo Moura, que bateu para defesa parcial de Gatito. Na volta, o lateral cruzou para Luan, que cabeceou errado, com o gol vazio. Clara também foi a oportunidade desperdiçada por Ramiro. No cruzamento de Cortez, com a goleira à frente, bateu muito alto.

O bom começo no Brasileirão também dá alento para a estreia na Copa do Brasil, quarta, na Arena, contra o Fluminense.

Brasileirão – 1ª rodada

Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Marcelo Oliveira (Bruno Cortez, 26'/2º); Michel e Arthur (Gata Fernández, 35'/2º); Ramiro, Luan e Pedro Rocha; Lucas Barrios (Jailson, 30'/2º)
Técnico: Renato Portaluppi

Botafogo: Gatito Fernández; Igor, Marcelo, Emerson Santos e Víctor Luís; Aírton (Gilson, 11'/2º), Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Guilherme, 12/2º); Rodrigo Pimpão e Roger (Joel, 32'/2º)
Técnico: Jair Ventura

Cartões amarelos: Marcelo, Rodrigo Pimpão, Bruno Silva, Emerson Santos, João Paulo (B), Marcelo Oliveira (G)

Gols: Ramiro (G), aos 45 do primeiro tempo e oito do segundo.

Arbitragem: Bráulio Machado, com Kléber Lúcio Gil e Neuza Inês Back (trio catarinense)

Renda: R$ 679.623,00

Público: 20.289 (18.552 pagantes)

Local: Arena do Grêmio


Próximo jogo: Copa do Brasil
Grêmio x Fluminense
17/5/2017, quarta-feira, 21h45min

 

voltar
© Copyright 2019