Com escolas fechadas, Ministério da Saúde inverterá etapas de vacinação contra gripe

Com escolas fechadas, o Ministério da Saúde decidiu alterar as próximas fases da campanha de vacinação contra a gripe no país. Inicialmente, a campanha estava planejada para se iniciar com a vacinação de idosos e trabalhadores de saúde. Em seguida, havia a decisão de vacinar professores e crianças de seis meses a menores de seis anos.

 

Agora, o ministério decidiu inverter o calendário. O motivo é a permanência de escolas fechadas em boa parte do país e a existência de outros grupos com maior risco pelo novo coronavírus. Embora não proteja contra esse vírus, a vacina ajuda a evitar possíveis casos de gripe em pessoas mais vulneráveis a complicações em meio à emergência.

— Como estamos com escolas paralisadas, invertemos com segurança e serviços essenciais — disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A próxima etapa deve se iniciar em 16 de abril e será destinada aos seguintes grupos:

  • Profissionais de forças de segurança e salvamento, como policiais e bombeiros
  • Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  • Funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade
  • Adolescentes que cumprem medidas socioeducativas
  • Caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários

Já a vacinação de um terceiro grupo está marcada para iniciar em 9 de maio. Na ocasião, devem ser vacinados professores, crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto, povos indígenas, adultos de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência.

Fonte: Agência Brasil

voltar
© Copyright 2019