Com gol de Cortez aos 40 minutos do segundo tempo, Grêmio vence o Bahia na Arena

As explicações podem ser muitas. Pouca inspiração ofensiva, escassa criação, adversário eficiente na marcação, talvez algum desgaste físico. O fato é que o Grêmio fez sua torcida sofrer na noite desta segunda-feira, contra o surpreedente Bahia, e só encaminhou a vitória por 1 a 0 aos 40 minutos do segundo tempo, com gol de Bruno Cortez. Com o resultado, o time assumiu a segunda colocação, com 15 pontos, só um atrás do líder Corinthians.

Diferentemente do que previa a torcida, faltou ao time, desde o começo, a imposição habitual dos jogos dentro da Arena. Foi de Pedro Rocha o primeiro chute, a seis minutos, perto da meta de Jean. Por força da marcação do Bahia, a troca de passes era lenta, previsível, permitindo que a defesa adversária se armasse. Com a bola nos pés, a equipe de Jorginho mostrava lucidez e velocidade. O destaque era Zé Rafael, que, a sete minutos, forçou Grohe a defesa difícil, em arremate de longa distância.

O jogo não obedecia ao roteiro que a torcida havia mentalizado. O controle técnico era do Bahia, que parecia não sentir o ambiente. E, com marcação avançada, não permitia os avanços dos volantes, a surpresa que o Grêmio costuma guardar para partidas mais complicadas. O novo ataque só veio aos 17 minutos. Em cruzamento de Edilson, Arthur dominou na frente da área e arriscou, mas a bola desviou na defesa.

Sem espaço para avançar, o Grêmio passou a tentar de longe, com Geromel, a 22 minutos, mas sem risco para Jean. Também foi dessa forma que Ramiro tentou, a 24, só que a bola tomou muita elevação. Luan decidiu assumir o jogo. Aos 25, ele abriu brecha entre os marcadores e deu a Pedro Rocha, que chutou errado.

Outro problema era o acabamento das jogadas. Como ocorreu aos 28 minutos, em que Arthur fez abertura precisa para Cortez, mas o cruzamento, um tanto quanto displicente, bateu nas cosas de Matheus Reis.

Dos pés de Luan surgiu nova possibilidade de gol. Ele aproximou-se da área, mas sua conclusão foi quase um recuo para o goleiro. O recurso do chute de longa distância também foi utilizado pelo próprio Luan, a 34, de novo sem direção. Se não concluía a contento, o Grêmio, ao menos, já não sofria mais com os contra-ataques. A exceção foi aos 35 minutos. E levou perigo. No passe de Allione, Zé Rafael chutou rasteiro, para defesa difícil de Grohe.

O momento de maior brilho do primeiro tempo nasceu em passe certeiro de Maicon. Pedro Rocha, dentro da área, tentou por cobertura e Jean salvou. Ainda haveria nova participação de Luan, em cruzamento da direita, mas Cortez chegou atrasado.

Enganou-se quem achou que as dificuldades do Grêmio haviam terminado. O segundo tempo voltou a mostrar um Bahia sólido na marcação, embora sem maior ambição ofensiva. Com a concentração de defensores na frente da área, a opção era abrir o jogo, mas faltava competência a Edilson e Cortez nos cruzamentos. Renato recorreu a Everton, mas retirou Arthur, para estranheza da torcida. Aos 16, Kannemann perdeu a dividida e a bola sobrou dentro da área para Ferrareis, que recém havia entrado. O chute, cruzado, assustou a torcida. Outro susto foi aos 27, quando Grohe errou a defesa em cobrança de escanteio e Edgar Junio chutou sobre a zaga. A outra solução buscada foi Fernandinho, colocado no lugar de Pedro Rocha. Apesar da correria, a produção foi pequena. O alívio só veio a 40 minutos. Luan bateu escanteio, Geromel desviou na primeira trave e Cortez, sem goleiro, empurrou para a rede: 1 a 0.

BRASILEIRÃO, 6ª RODADA, 12/6/2017

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Michel e Maicon (Lincoln, 37'/2º); Ramiro, Arthur (Everton, 15'/2º) e Pedro Rocha (Fernandinho, 27'/2º); Luan

Técnico: Renato Portaluppi

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca (Rodrigo, 36'/2º) e Matheus Reis; Renê Júnior e Juninho; Allione (Gustavo Ferrareis, 15'/2º), Vinícius (Mendoza, 30'/2º) e Zé Rafael; Edigar Junio

Técnico: Jorginho

Gol: Cortez (G), a 40 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Ferrareis (B)
Arbitragem: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (trio goiano).
Renda: R$ 782.927,00
Público: 23.875 (22.103 pagantes)
Local: Arena do Grêmio

PRÓXIMO JOGO — BRASILEIRÃO
15/6/2017, 5ª FEIRA, 21H
FLUMINENSE X GRÊMIO

 

* ZH Esportes

voltar
© Copyright 2019