Cunha diz que prisão na Lava Jato é “absurda” e “sem motivação”

O ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou nesta quarta-feira (19), por meio de nota divulgada por seus advogados, que a prisão preventiva dele –decretada pelo juiz Sérgio Moro – é uma decisão “absurda” e “sem nenhuma motivação”.

“Trata-se de uma decisão absurda, sem nenhuma motivação e utilizando-se dos argumentos de uma ação cautelar extinta pelo Supremo Tribunal Federal”, diz a nota(leia a íntegra abaixo).

Cunha foi preso, no começo da tarde, em Brasília, pela Polícia Federal. Por volta das 15h, o ex-deputado embarcou em direção a Curitiba.

A ordem de prisão atendeu a pedido do Ministério Público Federal (MPF). Os procuradores argumentam que, em liberdade, Cunha representa risco às investigações. Além disso, o pedido cita “possibilidade concreta de fuga” do ex-deputado – que possui dupla nacionalidade.

Confira a nota emitida por Eduardo Cunha:

Tendo em vista o mandado de prisão preventiva decretado hoje pela 13º Vara Federal do Paraná, tenho a declarar o que se segue:

Trata-se de uma decisão absurda, sem nenhuma motivação e utilizando-se dos argumentos de uma ação cautelar extinta pelo Supremo Tribunal Federal.

A referida ação cautelar do supremo, que pedia minha prisão preventiva, foi extinta e o juiz, nos fundamentos da decretação de prisão, utiliza os fundamentos dessa ação cautelar, bem como de fatos atinentes a outros inquéritos que não estão sob sua jurisdição, não sendo ele juiz competente para deliberar.

Meus advogados tomarão as medidas cabíveis para enfrentar essa absurda decisão.

GAÚCHA

 
voltar
© Copyright 2019