Decisão de Temer sobre rombo nas contas públicas é adiada

Depois de três horas de reunião no Palácio do Planalto nesta quinta-feira (10), o presidente Michel Temer, ministros da área econômica e parlamentares não conseguiram definir a mudança da meta fiscal deste ano e de 2018, informou o Ministério do Planejamento. As informações são do portal G1

Segundo a pasta, a equipe econômica deve voltar a discutir o assunto na próxima segunda-feira (14). Estavam na reunião desta quinta os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, do Senado, Eunício Oliveira, e líderes do governo no Congresso Nacional.

Pela primeira vez desde sua criação, em 1999, a meta fiscal do governo federal poderá ser revista para ampliar o rombo nas contas. Na última década, houve alterações em oito anos, mas em nenhuma das vezes a União obteve autorização para registrar déficit primário superior ao inicialmente previsto.

Embora tenha garantido, em 2016, que fecharia 2017 com no máximo R$ 139 bilhões no vermelho, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, passou a admitir a possibilidade de reconsiderar o compromisso — e para pior.

Entre 2007 e 2013, as modificações se limitaram a reduzir a promessa de saldo positivo. De 2014 a 2016, o objetivo original, que era de superávit, passou a ser deficitário. Agora, o rombo, que já era certo, pode crescer em quase R$ 20 bilhões. A nova meta deve ser anunciada até o dia 15, e a expectativa é de que fique entre R$ 150 bilhões e R$ 156 bilhões negativos.

ZERO HORA

voltar
© Copyright 2019