Deputado Osmar Terra concede entrevista a Rádio Águas Claras e avalia ações adotadas na pandemia

O deputado federal Osmar Terra (MDB), ex-ministro do Desenvolvimento Social e da Cidadania, participou do programa Rádio Revista da Rádio Águas Claras nesta terça-feira, 27.
Terra fez uma abordagem sobre as críticas que recebeu pelas previsões otimistas da pandemia, observando que o surgimento de novas cepas contribuíram para número de óbitos mais expressivos no Brasil e no mundo todo. O parlamentar fez críticas às medidas adotadas de fechamento de estabelecimentos, o que causou vários prejuízos à economia. Ele fez referência, principalmente, ao Rio Grande do Sul, onde se registrou um grande número de mortes, maior que outras partes do país, mesmo com as medidas do fechamento das empresas, com sistema de bandeiras adotada pelo governo Eduardo Leite.

Em relação a vacinação, Terra defendeu a vacina, mas observou a “imunidade de rebanho”. “Estamos com 20% da população vacinada no país, temos mais gente vacinada pelo vírus do que pela vacina, é a imunidade de rebanho. Quem foi contaminado e se recuperou está vacinado”, afirmou o parlamentar, ressaltando sua própria experencia, foi contaminado em novembro do ano passado, se recuperou e não tomou a vacina.

Osmar Terra comentou sobre o projeto que tramita na Câmara dos Deputados para a liberação da maconha. Terra foi enfático ao criticar a matéria, apontando uma série de questionamentos que acabam acobertando o principal motivo que é a liberação de plantios e venda discriminalizada do produto. Para o deputado este incentivo pela aprovação do projeto é de uma empresa canadense que busca ter o país como um dos principais produtores da droga criando uma espécie de ‘narcoagro’.

O político que também é médico frisou que na droga existe apenas um componente comprovado que traria algum benefício para o usuário que é o canabidiol. Desta forma ele e outros colegas da câmara estão propondo a liberação do uso deste componente como medicamento e não a liberação desenfreada da droga. Ele destacou que todos os outros componentes causam diversos malefícios para as pessoas. “Nós temos que evitar que aconteça isso”, declarou.

Osmar Terra está no sexto mandato  como deputado federal. Médico, formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi também prefeito de Santa Rosa, secretário da Saúde do RS nos governos Rigotto e Yeda Crusius e Idealizador do Primeira Infância Melhor (PIM). Autor da Nova Lei Antidrogas do Brasil.

Primeiro prefeito do Brasil a implantar o programa Saúde da Familia. Como secretário enfrentou as epidemias de dengue, febre amarela e gripe H1N1. Foi Ministro do Desenvolvimento Social do presidente Michel Temer e da Cidadania do presidente Jair Bolsonaro.

Na entrevista, Terra discorreu sobre vários assuntos, e sinalizou que seu nome estará a disposição do MDB para a sucessão estadual, porém, frisou que a preferência é do ex-governador Sartori.

voltar
© Copyright 2019