Dia das Mães movimenta vendas no Rio Grande do Sul em maio

A celebração do Dia das Mães, em 13 de maio, traz uma perspectiva otimista para o varejo gaúcho. Segundo levantamento realizado pelo Departamento de Economia da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), o crescimento médio das vendas em maio de 2018 deve ser cerca de 9% superior ao mesmo mês de 2017. Na comparação com abril deste ano, o incremento deve ser na casa dos 5%. O presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, lembra que o Dia das Mães é um impulsionador das vendas em maio, que se caracteriza como o melhor mês do primeiro semestre. "Com a retomada da economia e a melhora das condições para que os filhos possam presentear suas mães nesse ano, a FCDL-RS trabalha com uma previsão de que artigos de vestuário e calçados tenham suas vendas incrementadas em 22% diante de abril; móveis e eletrodomésticos tendem a crescer 16%; artigos pessoais e utilidades domésticas, 16%; artigos farmacêuticos, que inclui perfumaria, 6%; e produtos de informática, 5%", destaca Koch. O tíquete médio esperado na aquisição de presentes tende a ficar na faixa de R$ 120,00 para compras feitas pelos adultos e R$ 38,00 para as crianças que irão presentear suas mães. Os maridos e filhos adultos tendem a concentrar suas compras em artigos de vestuário, calçados e produtos de uso doméstico, enquanto as crianças normalmente optam por produtos de perfumaria e cosméticos para as mamães. No que se refere aos meios de pagamento, a FCDL-RS recomenda que os lojistas trabalhem com promoções que viabilizem uma quantidade maior de pagamentos à vista pelo consumidor. Outra alternativa é alavancar o crediário próprio das lojas, fugindo dos juros abusivos dos cartões de crédito e cheque especial. Também é fundamental que os lojistas consultem o SPC na hora de conceder o crédito para o consumidor. "É importante lembrar que vitrines tematizadas e promoções especiais são atrativos que podem influenciar de forma decisiva na compra. O consumidor médio está mais conservador do que em anos anteriores, fazendo com que a escolha do presente se concentre mais no preço do que na marca", ressalta o presidente da FCDL-RS.

– Jornal do Comércio 

voltar
© Copyright 2019