Direção do vento ajuda, e Guaíba segue baixando neste domingo no RS

Depois de alcançar 2,93 metros e atingir a segunda maior cheia da história, que foi de 4,76 m na enchente de 1941, o nível do Guaíba segue baixando no Rio Grande do Sul. Conforme a medição do sistema da prefeitura de Porto Alegre, a menor vazão de rios que desaguam no lago e o vento nas direções Leste e Nordeste contribuem para essa queda.

Na manhã deste domingo (18), a régua utilizada pelo Grupo de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros, instalada no Cais Mauá, indicava 2,88 m às 8h. Quarenta minutos depois, a régua eletrônica no mesmo ponto marcava 2,85 m. Na Ilha da Pintada, que fica às margens do Guaíba, a marcação era de 2,34 m no mesmo horário.

Ainda madrugada deste domingo, por volta das 3h, o sistema da prefeitura informava a medição de 2,90 no mesmo ponto.

Barricadas foram montadas no sábado para evitar escoamento

Barricadas Porto Alegre Guaíba (Foto: Zete Padilha/RBS TV)Barricadas foram montadas na Avenida Mauá

(Foto: Zete Padilha/RBS TV)

Equipes de Prefeitura de Porto Alegreinstalaram barricadas no sábado (17) para tentar conter o avanço das águas do Guaíba para a Avenida Mauá, no Centro da capital. Neste mesmo dia, o lago ultrapassou a marca de 2,93 metros, a maior cheia dos últimos 74 anos, e a segunda maior da história. Em 1941, a enchente alagou o Centro da cidade.

As 14 comportas que protegem a região, junto ao Muro da Mauá, foram novamente fechadas para evitar alagamentos.

No final da tarde, funcionários do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) colocaram mais de 150 sacos de areia com 25 quilos cada para impedir o avanço das águas pela avenida.

A cheia do Guaíba causou transtornos também em outros pontos de Porto Alegre. A Avenida Praia de Belas, na Zona Sul da capital, alagou. Com a elevação do nível, o Arroio Dilúvio não consegue desaguar no lago. Com a água represada, o resultado são bueiros transbordando e ruas cheias alagadas na região.

No bairro Ipanema, também na Zona Sul da capital, a água avançou pelas vias e algumas residências na região ainda no sábado. No bairro Tristeza, a ponte do clube Jangadeiros, que liga o continente à ilha do clube, ficou completamente submersa. A Avenida Guarujá, no bairro Guarujá, também ficou debaixo d’água.

Clube Jangadeiros Porto Alegre cheia do Guaíba (Foto: Cezar Freitas/RBS TV)Clube Jangadeiros, em Porto Alegre, teve ponte submersa (Foto: Cezar Freitas/RBS TV)

 

Na outra margem do lago, moradores do município de Guaíba, na Região Metropolitana, também enfrentam problemas. A água alagou completamente uma parte da Avenida João Pessoa, essa que é uma das principais da cidade. Casas e estabelecimentos comerciais foram atingidos pela água.

Tempo seco ajuda a secar água acumulada nas ruas

Com a mudança na direção do vento e o tempo seco, que persistirá por todo este domingo no Rio Grande do Sul, a tendência é de que o nível do Guaíba siga baixando, e as ruas alagadas, secando.

O sol brilha em todas as regiões, com algumas nuvens no céu. As temperaturas caíram, e fez mais frio na Serra, no Sul e na Campanha. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) marcava 3,2°C em São José dos Ausentes e Canguçu no começo da manhã.

Em Porto Alegre fez 7,5°C antes das 8h. A temperatura na capital não passará dos 20°C neste domingo, segundo o Inmet.

Na segunda-feira (19), porém, o mau tempo volta a atingir o estado. As temperaturas voltarão a subir e poderão ultrapassar os 30°C. A previsão do Inmet é de pancadas de chuva e trovoadas no Sul e no Oeste, e nas demais regiões o tempo deverá ficar parcialmente nublado com pancadas de chuva.

voltar
© Copyright 2019