Em reunião com prefeitos, Leite reforça intenção de comprar vacina contra a Covid-19 para o RS

O governador do RS Eduardo Leite voltou a reforçar a intenção de comprar a vacina contra a Covid-19 para a população gaúcha, durante reunião com prefeitos do Consórcio dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal), na manhã desta quarta-feira (6).

“Se não houver definição nos próximos dias, passaremos a nos movimentar por aqui para fazer a aquisição das doses que forem aprovadas pela Anvisa”, destacou.

Os chefes do executivo se mostraram preocupados com a situação e destacaram a necessidade de um plano B, para o caso do governo federal não fornecer as doses da vacina à população.

“Em relação à vacinação, informei aos prefeitos que recebi nesta manhã, do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a notícia de que uma medida provisória para a aquisição das vacinas pelo governo federal deverá ser assinada ainda nesta quarta-feira (6). Enquanto isso, seguimos organizando a aquisição de seringas e a logística necessária para iniciar o processo de vacinação no RS”, explicou.

Segundo Leite, o RS já iniciou um processo de negociação com o Instituto Butantan e encaminhou expediente manifestando interesse na aquisição de vacinas para os profissionais de saúde do estado.

“Como Estado, não fugiremos da responsabilidade, caso seja necessário, mas é preciso ressaltar que os recursos serão retirados de outros investimentos para serem realocados à aquisição da vacina, o que pode penalizar a população”.

De acordo com a secretária estadual de Saúde Arita Bergmann, o RS, que já tem experiência com o Programa Estadual de Imunizações (PEI), tem condições de armazenar e distribuir todos os tipos de vacinas, e já tem número suficiente de seringas agulhadas para suprir a primeira fase de vacinação.

A Secretaria da Saúde informou que está comprando seringas e outros materiais necessários para garantir a vacinação, além de organizar a logística do processo.

Bandeira para a Região Metropolitana

 

Durante a reunião, o governador também explicou como funciona o cálculo dos indicadores que definem as bandeiras impostas às 21 regiões do modelo de distanciamento controlado. Em seguida, apresentou um panorama da situação da doença no estado, com detalhamento especial da evolução do coronavírus na Região Metropolitana.

Os prefeitos abordaram a possibilidade de uma bandeira “própria” para a Região Metropolitana e a necessidade de ampliar o percentual de servidores públicos em trabalho presencial, norma definida em decreto. De acordo com o governo, os temas serão levados ao Gabinete de Crise nesta quinta-feira (7).

Participaram do encontro, de modo virtual, os prefeitos de Canoas, Sapucaia do Sul, Esteio, Viamão, Alvorada, Cachoeirinha, Gravataí, Eldorado do Sul, Guaíba, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Nova Santa Rita, Glorinha e Santo Antônio da Patrulha, além do presidente da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen. O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, participou presencialmente.

voltar
© Copyright 2019