“Emergência não espera” diz presidente da Famurs sobre falta de ajuda de governos para municípios em razão das chuvas

Com prejuízo estimado de 339 milhões de reais em razão das chuvas no Rio Grande do Sul, a Federação das Associações de Municípios saiu frustrada da reunião que aconteceu ontem à tarde com os Ministros da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e do Desenvolvimento Agrário e Social, Osmar Terra. Durante entrevista nesta manhã na Progresso, o presidente da Famurs, Luciano Pinto, disse que não houve anúncio de liberação de dinheiro por parte do governo federal e entende que os Ministros deveriam ter sido mais incisivos em relação aos pedidos das prefeituras.



“Emergência não espera”, frisou Luciano Pinto, ao comentar os decretos de emergência já estipulados por 151 prefeituras gaúchas. Ele ainda criticou a morosidade nos processos de reconhecimento das situações de emergência e a liberação de recursos. Para Luciano Pinto, não seria preciso tanta morosidade, pois apenas uma foto é suficiente para comprovar os estragos causados pelas chuvas.



O presidente da Famurs acredita que a saída para os municípios é decretar emergência, mesmo que não haja, por exemplo, pessoas desabrigadas ou desalojadas. Em Chiapetta os prejuízos das chuvas foram de 20 milhões de reais e em Cândido Godói, 17 milhões. Também contabilizam danos acima 5 milhões de reais, Santo Ângelo, Derrubadas, Garruchos, Entre-Ijuís Júlio de Castilhos.

 



Fonte: Rádio Progresso de Ijuí

voltar
© Copyright 2019