Famurs recomenda manutenção do isolamento social nos municípios gaúchos

Em nota divulgada na manhã deste domingo (29), a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) reiterou sua posição em favor do isolamento social nos municípios gaúchos como forma de conter a disseminação do coronavírus. A posição concorda com o que foi recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.

A entidade, que representa os 497 municípios do Rio Grande do Sul, diz que a flexibilização das medidas restritivas de circulação, como liberação das atividades de comércio e retorno às aulas, é uma “temeridade”.

Conforme a Famurs, mais de 90% dos municípios gaúchos ainda aguardam a chegada dos EPIs (equipamentos de proteção individual) e aparelhos hospitalares, como respiradores mecânicos, basilares no tratamento da covid-19.

 

Famurs recomenda manutenção do isolamento social para enfrentamento da Covid-19

A Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), em consonância às recentes orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, reitera seu posicionamento pela manutenção do isolamento social como principal vetor de enfrentamento à Covid-19. A recomendação da entidade se alinha à manifestação pública do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que em entrevista coletiva concedida neste sábado (28/03), em Brasília, confirmou 114 mortes por conta do novo Coronavírus no país, que já tem 3.904 casos oficialmente confirmados.

A entidade, representante dos 497 municípios do Rio Grande do Sul, concorda com o Ministro da Saúde que flexibilizar as medidas restritivas de circulação, como liberação das atividades de comércio e retorno às aulas, é uma temeridade. Abrandar o isolamento social, neste momento, pode representar uma expansão acelerada do contágio, assim como pode, inevitavelmente, sobrecarregar o sistema de saúde pública de todo Brasil, ainda insuficiente para atender um surto da pandemia.

Salientamos que mais de 90% dos municípios do nosso Estado, por exemplo, ainda aguardam a chegada dos EPIs (equipamentos de proteção individual) e aparelhos hospitalares, como respiradores mecânicos, basilares no tratamento do vírus. Por fim, a Famurs recomenda aos municípios gaúchos a continuidade das medidas até aqui adotadas, mantendo a vigência dos decretos de emergência e calamidade.

Eduardo Russomano Freire

Presidente da Famurs

voltar
© Copyright 2019