Governo anuncia programa para ampliar a 8 mil testes diários de Covid-19 no RS

O governo do Rio Grande do Sul anunciou, nesta quinta-feira (23), que vai implementar um programa de testagem e de busca ativa que deve ampliar para 8 mil o número de testes RT-PCR para coronavírus no estado por dia.

Como explicou o governador Eduardo Leite, com equipamentos enviados pelo Ministério da Saúde e o apoio das secretarias municipais de saúde e a iniciativa privada, o Testar RS vai aumentar a capacidade do Laboratório Central do Estado (Lacen-RS) e de laboratórios conveniados, que atualmente processam 1 mil testes por dia.

O programa será implantado em etapas, considerando grupos prioritários. Os primeiros exames serão para instituições de longa permanência para idosos e trabalhadores da saúde, em todo o estado, e também para suspeitos de síndrome gripal de 30 municípios, que concentram a maior incidência da doença, explicou o governador. Confira abaixo a lista de municípios da primeira etapa.

Cidades que receberão a testagem na primeira etapa do programa, a partir desta quinta-feira (23) — Foto: Divulgação/Palácio Piratini

Cidades que receberão a testagem na primeira etapa do programa, a partir desta quinta-feira (23) — Foto: Divulgação/Palácio Piratini

A secretária de Saúde do RS, Arita Bergmann, observa que moradores e funcionários dos ILPIs já são testados, mas apenas sintomáticos. Porém, a ampliação é fundamental, uma vez que são 800 instituições do tipo no estado, que vêm registrando alto número de surtos. “Queremos proteger os idosos”.

Para essa etapa, está previsto o acréscimo de 1 mil testes diários. A testagem começa nesta quinta-feira (23). Os exames serão processados no Lacen e em laboratórios do Paraná e de São Paulo.

Na etapa seguinte, serão testadas pessoas sintomáticas e suspeitos por terem sido contactantes. Segundo o governador, um aplicativo chamado Dados do Bem, que já pode ser baixado, vai ajudar no rastreamento. Com essa fase, o programa deve chegar aos 8 mil testados por dia, conforme o governo. A previsão de início desta testagem é agosto, sem data definida.

“Temos quatro objetivos: diminuir transmissão comunitária, conhecer a real incidência no nosso território, traçar perfil do contágio e também reduzir o crescimento da curva epidêmica”, observou Leite.

A ampliação nos testes vai ser possível com a chegada de um aparelho extrator, utilizado no processamento dos exames, encaminhado pelo Ministério da Saúde. O governo vai adquirir outro extrator.

Para que todas as pessoas com sintomas gripais possam fazer o teste, o governo organiza uma central de recebimento, triagem, acondicionamento e envio de amostras para centros de triagem regionais, que serão criados. Além disso, o estado contará com a parceria de municípios para criar centrais municipais.

R$ 5,5 milhões para grupos vulneráveis

O governador também anunciou o lançamento de um programa que vai direcionar R$ 5,5 milhões para a atenção em saúde e o combate ao coronavírus entre grupos vulneráveis.

Os valores serão distribuídos da seguinte forma:

  • Povos indígenas: R$ 350 mil em 67 municípios
  • Quilombos: R$ 208 mil em 138 comunidades
  • População em sistema prisional: R$ 1,4 milhão para municípios que tenham prisões
  • População de rua: R$ 130 mil para 36 municípios
  • APAES: R$ 1,2 milhão para 61 entidades
  • Atendimento de Saúde mental na atenção básica: R$ 2,15 milhões para 362 municípios

Conforme observou a diretora de Ações em Saúde do governo, Ana Costa, a estratégia tem como foco a prevenção da doença e leva em conta que estes públicos têm necessidades específicos.

Os recursos para a saúde mental é uma demanda crescente. “A gente observou em pesquisa da SES que houve 78% de aumento de busca a atenção primária relatando medo, ansiedade, dificuldades de sono. Esses municípios não contém atenção especializada”, afirma Ana.

voltar
© Copyright 2019