Grêmio enfrenta o Sport na Arena com chance de ingressar no G-6

A hora é de poupar energias para a final da Copa do Brasil. É o que leva Renato Portaluppi a escalar time misto, nesta segunda-feira, na Arena, contra o Sport. A decisão de preservar titulares, contudo, não significa desinteresse pelo Brasileirão. Até porque uma vitória colocará o time dentro do G-6, o plano B para conseguir uma vaga na Libertadores.

Os primeiros preservados são os volantes Maicon e Ramiro e o atacante Luan. A decisão também passa por recomendação de preparadores e fisiologistas, atentos ao desgaste físico dos três. Dos três poupados, Luan, que jogou 49 vezes em 2016, é o que mais tem se queixado de cansaço nas últimas partidas.

– Ele não tem apresentado parâmetros físicos tão satisfatórios quanto anteriormente. Vem numa sequência muito grande – explica o preparador físico Rogério Dias.

Não se descarta que Renato preserve também um dos zagueiros titulares, Geromel ou Kannemann. Dificilmente Douglas ficará fora, para que não seja comprometida a criatividade no meio. A alternativa é o jovem Lincoln, de discreta participação nas vezes em que foi escalado.

– Douglas se cuida muito, se protege. É o jogador que chega mais cedo para os treinamentos. Tem aceitado bem a nossa proposta de estabilização e reforço muscular pontual – elogia Rogério.

A derrota do Atlético-PR para o Vitória facilitou a tarefa do Grêmio. Em caso de vitória, a equipe ultrapassará o time de Curitiba e se somará a Palmeiras, Santos, Flamengo, Atlético-MG e Botafogo como representante brasileiro na principal competição do continente.

– Falta muito ainda para a decisão. Precisamos somar pontos nestas três partidas. Queremos classificar à Libertadores pelo Brasileirão – diz o argentino Kannemann. 

Faltam ainda 17 dias até o primeiro confronto com o Atlético-MG. E, além do desta segunda, mais dois jogos pelo Brasileirão: contra São Paulo, fora, e América-MG, em casa. É fácil deduzir que será todo reserva o time na partida contra os mineiros, dia 20. Passa por um eventual desgaste de outros jogadores a escalação no Morumbi, dia 17.

Também a ansiedade pela decisão é fator preocupante, diz Rogério Dias. Ele revela que, se prevalecesse o desejo dos jogadores, a primeira partida contra o Atlético-MG já seria disputada quarta-feira.

Sem Bolaños, suspenso e convocado pela seleção equatoriana, e Everton, com amigdalite, Renato Portaluppi poderá recorrer a Henrique Almeida. Depois de atritar-se com a torcida na partida de estreia do técnico, contra o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, o centroavante recebeu oportunidades somente frente a Chapecoense e o Vitória-BA. Jogador de área, Henrique força Renato a uma mudança de característica do ataque.

A partida também não empolga a torcida. Até domingo, haviam sido vendidos 3,5 mil ingressos, e a projeção de torcedores presentes varia de 15 mil a 18 mil. Muito menos do que os 56 mil gremistas que tornarão a Arena pequena dia 30 de novembro, na expectativa da primeira volta olímpica dentro do estádio inaugurado em 2012.

ZERO HORA

 
voltar
© Copyright 2019