Inter empata sem gols com Tolima e decidirá vaga na fase de grupos no Beira-Rio

O Inter será obrigado a vencer o Tolima no Beira-Rio na próxima quarta-feira (26) para conseguir no tempo normal a classificação para a fase de grupos da Libertadores. Nesta quarta (19), o time de Eduardo Coudet teve uma atuação burocrática e ficou no 0 a 0 com o time colombiano em Ibagué.

 

A equipe colorada voltou a ter uma alta posse de bola, como havia ocorrido diante da Universidad de Chile, em Santiago, mas repetiu o mesmo problema: a falta de criatividade para criar situações de gol. Na prática, o goleiro colombiano Álvaro Montero trabalhou apenas em chutes de fora da área ao longo dos 90 minutos.

 

Para enfrentar o Tolima, o Inter teve duas mudanças em relação ao time que iniciou o Gre-Nal 423. Uma delas por opção, e que mais chamou atenção, foi Marcos Guilherme no lugar de D’Alessandro no ataque. Na lateral esquerda, Uendel ocupou a vaga de Moisés, lesionado.

 

A ideia de Coudet de contar com um jogador veloz no ataque para acompanhar Guerrero, no entanto, não surtiu efeito esperado no primeiro tempo. O Inter até começou o jogo levando perigo. Logo aos 2 minutos, após uma longa troca de passes, Boschilia recebeu de Edenilson e chutou para defesa do goleiro Álvaro Montero, que espalmou para a linha de fundo. Na cobrança do escanteio, Marcos Guilherme encontrou Guerrero, que cabeceou perto.

 

Os dois lances deram uma falsa impressão de que o Inter conseguiria pressionar o Tolima. A partir daí, o que se viu foi um jogo em que o Colorado falhou demais. O time colombiano quase abriu o placar em lance que Cuesta saiu jogando errado e foi desarmado por Albornoz, que cruzou e Rodinei apareceu na hora certa para fazer o corte.

 

Ao longo do primeiro tempo, o Tolima mostrou vigor físico e conseguiu fazer uma marcação eficiente no campo de ataque, o que complicou bastante para o Inter. Foram muitos os erros de Bruno Fuchs, Cuesta e Musto. A sorte colorada foi que faltou qualidade para os homens de frente da equipe da casa aproveitarem essas falhas.

 

Pouco acionado, Guerrero passou a sair da área para tentar participar do jogo. Ele até deu um chute de fora da área que Montero pegou firme. Antes do intervalo, Lomba também deve de trabalhar. Aos 45, ele defendeu em dois tempos o chute cruzado de Campaz.

 

Apesar da atuação fraca na primeira etapa, Coudet optou por não mexer na equipe no intervalo. Mesmo sem troca, o Inter conseguiu ocupar mais o campo de ataque no segundo tempo, quando o Tolima não teve o mesmo vigor para manter a marcação adiantada.

 

O Inter, assim, teve duas chances antes dos 10 minutos, ambas em chutes de fora da área. Aos 7, Marcos Guilherme chutou e ela passou perto do gol de Montero. Aos 9, foi a vez de Boschilia arriscar, mas a bola desviou no caminho e acabou passando longe da meta defendida por Montero.

 

Diante da melhora do Inter, D’Alessandro foi chamado para entrar no lugar de Marcos Guilherme aos 22 minutos. Era a tentativa de Coudet para o Inter ganhar qualidade. O camisa 10 mostrou seu toque refinado, mas foi mais importante para manter o time com alta posse de bola do que para criar jogadas perigosas.

 

O jogo ficou em ritmo lento até que nos minutos finais os dois times voltaram a ter chances. Aos 40, Tolima levou perigo em cabeçada de Julián Quiñones, que passou perto. O Inter ainda teve duas últimas oportunidades nos acréscimos, com Boschilia e Bruno Fuchs, mas ambas pararam em defesas de Montero. O placar ficou mesmo em 0 a 0, o que obriga o Inter a vencer no Beira-Rio na próxima semana.
voltar
© Copyright 2019