Inter perde para o Fluminense de virada no maracanã

O Inter até iniciou bem, saiu vencendo, mas não conseguiu manter o resultado que poderia lhe deixar na liderança do Brasileirão e acabou perdendo de virada por 2 a 1 para o Fluminense na noite deste domingo (16), no Maracanã. Guerrero abriu o placar para o time colorado, mas Nenê, em duas cobranças de pênalti, garantiu a vitória dos donos da casa.

A equipe não teve Bruno Fuchs, próximo de ser vendido ao CSKA Moscou, da Rússia. O técnico Eduardo Coudet escalou em seu lugar o garoto Zé Gabriel. O resto do time foi o mesmo que venceu o Santos no Beira-Rio.

Confira como ficou a tabela do Brasileirão 

Outra ausência, essa no Fluminense, foi o técnico Odair Hellmann. Por suspeita de covid-19, o treinador não pôde ficar no banco de reservas, que foi comandado pelo auxiliar Mauricio Dulac.

— Ele falou de manhã. Mandou a contraprova do negativo, tem positivo de um lado, negativo do outro. Ficou uma coisa confusa. Mas a gente sabe o que fazer. Claro que era melhor estar com ele junto no banco, mas temos de estar preparados — disse o experiente Nenê na saída para o intervalo.

Dentro de campo, ainda que o jogo fosse no Maracanã, o Inter parecia em casa. Era o time gaúcho que tinha a bola e foi Thiago Galhardo, aos dois minutos, quem arriscou a primeira finalização da partida. O atacante clareou e mandou de fora da área para fácil defesa de Muriel, mas já indicando a postura agressiva dos visitantes.

Aos 17 minutos, o Fluminense conseguiu pela primeira vez trocar bons passes e invadir a área colorada. A defesa cortou e, no contra-ataque, o Inter quase abriu o placar. Guerrero deu passe primoroso para Edenilson, que ficou cara a cara com Muriel. O camisa 8, no entanto, tentou driblar o goleiro e acabou perdendo. No rebote, Patrick ainda chutou e Igor Julião salvou em cima da linha.

Quando o jogo dava uma amornada, era o Inter que aparecia no ataque e dava uma assustada. Aos 25, Guerrero lançou Thiago Galhardo, que invadiu a área e bateu cruzado. A bola atravessou a área com perigo.

Mas, dois minutos depois, a insistência virou gol. Paolo Guerrero, sempre ele, aproveitou um bate e rebate na área para abrir o placar no Maracanã. Edenilson cobrou escanteio, a zaga do Fluminense afastou mal, a bola pipocou e, depois de toque de cabeça de Lindoso, sobrou no pé do centroavante, que mandou para dentro.

E nada de recuar. O Inter seguiu em cima, buscando o segundo gol. Ele quase veio em cobrança de falta cobrada por Guerrero, aos 32, mas a bola saiu à direita da meta defendida por Muriel.

Ainda que estivesse melhor no jogo, o time de Coudet sofreu com a qualidade da jovem dupla de ataque do Flu. Marcos Paulo, 19 anos, lançou Evanilson, 20. O centroavante dominou no peito e foi derrubado por Víctor Cuesta. O árbitro Raphael Claus não hesitou e marcou o pênalti. Nenê bateu firme, rasteiro, no canto direito de Lomba, que caiu para o outro lado, e deixou tudo igual aos 38 minutos.

Para o segundo tempo, os técnicos mantiveram as mesmas equipes e a partida seguiu como estava antes do intervalo: domínio colorado e o Flu buscando o contra-ataque. Nos primeiros minutos da etapa final, o Inter chegou com Boschilia e Patrick, mandando para fora.

Aos 10, quase Edenilson colocou a equipe gaúcha em vantagem. Depois de receber belo passe de Galhardo por cima, cabeceou sobre o goleiro Muriel. A bola ia entrando, mas o zagueiro Luccas Claro salvou quase dentro do gol.

A resposta do Fluminense veio em dois chutes de fora área. Primeiro com o lateral-esquerdo Egídio e depois, de falta, com Dodi, ambas defendidas por Lomba. Aos 17 minutos, porém, os donos da casa marcaram com Michel Araújo, mas o gol foi anulado com a ajuda do VAR, porque a bola tocou na mão do meia antes de finalizar.

Imediatamente, Coudet mandou a campo Marcos Guilherme, na vaga de Boschilia, e Pottker no lugar de Guerrero, com dores. Mas o Fluminense se manteve no ataque e conseguiu outro pênalti aos 29 minutos. O árbitro Raphael Claus foi novamente para o VAR e confirmou o toque de mão de Zé Gabriel. Na cobrança, Nenê bateu forte no canto direito e marcou o gol da virada no Maracanã.

Nos minutos finais, Coudet ainda promoveu a estreia de Yuri Alberto. Mas nada que pudesse evitar a derrota. Na próxima rodada, o Inter recebe o Atlético-GO no Beira-Rio, às 20h30min de quarta-feira.

Brasileirão, 3ª rodada – 16/8/2020

Fluminense 2×1 Inter

FLUMINENSE
Muriel; Igor Julião, Luccas Claro, Nino, Egídio; Yuri Lima, Dodi, Michel Araújo (Wellington Silva, 27’/2ºT); Nenê (Ganso, 37’/2ºT), Evanilson (Yago Felipe, 44’/2ºT), Marcos Paulo (Luiz Henrique, 27’/2ºT).
Técnico: Maurício Dulac (auxiliar)

INTER
Marcelo Lomba; Saravia, Zé Gabriel, Víctor Cuesta, Moisés; Rodrigo Lindoso (Musto, 30’/2°T), Edenilson, Boschilia (Marcos Guilherme, 21’/2°T), Patrick (Yuri Alberto, 38’2ºT); Thiago Galhardo (Peglow, 31’/2ºT), Guerrero (Pottker, 21’/2ºT).
Técnico: Eduardo Coudet

GOLS: Guerrero (I), aos 27, e Nenê (F), aos 38 minutos do primeiro tempo, e Nenê (F), aos 31 minutos da etapa final.

CARTÕES AMARELOS: Dodi, Nino (F); Boschilia, Saravia e Edenilson (I)

ARBITRAGEM: Raphael Claus, auxiliado por Danilo Ricardo Manis e Fabrini Bevilaqua Costa. VAR: José Claudio Rocha Filho (quarteto paulista).

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Próximo jogo

Quarta-feira, 19/8/2020, 20h30min

Inter x Atlético-GO, Beira-Rio – Brasileirão

voltar
© Copyright 2019