Inter perde para o São Paulo e iguala maior seca da história no Beira-Rio

A quarta-feira, 7 de julho de 2021, entra na história colorada como uma página negativa. Nesta noite, ao perder para o São Paulo por 2 a 0, Inter igualou o recorde de jogos seguidos sem vencer no Beira-Rio. São oito partidas em série sem deixar o campo com vitória, algo que não ocorria desde 1983. O time segue sem ganhar em casa e afunda cada vez mais no Brasileirão, está a três pontos da zona de rebaixamento. No sábado (10), o adversário será o Grêmio, no clássico dos desesperados que se avizinha.

A estreia de Bruno Méndez, originalmente zagueiro, foi na lateral direita. Aguirre deslocou o uruguaio, recém-contratado, e escalou o miolo da defesa com Pedro Henrique e Lucas Ribeiro. Paulo Victor fechou pela esquerda. No meio, a vaga de Edenilson foi preenchida por Johnny, com Dourado e Mauricio. Nas pontas, Patrick e Caio Vidal. Como centroavante, Yuri Alberto.

O problema é que mais uma vez, a partida já começou praticamente 1 a 0 para o adversário. Antes do segundo minuto, Bruno Méndez não ganhou uma dividida, Eder lançou Rigoni nas costas da defesa, o atacante driblou Daniel, mas adiantou demais. Ainda assim, correu atrás da bola, evitou a saída e aproveitou que nem os zagueiros e nem goleiro fecharam o ângulo. Bateu direto e fez o gol. Pela terceira vez no Brasileirão, em casa, um gol cedo obrigaria o time a virar uma partida.

Yuri Alberto quase deu a resposta imediata. Sozinho, de costas para a trave, o centroavante girou, da intermediária, e chutou. Tiago Volpi voou e espalmou.

Aos 11, o São Paulo chegou ao segundo gol. Novamente em erro na saída de bola, Eder bateu e venceu Daniel. Para a sorte do Inter, o atacante estava impedido.

Quatro minutos mais tarde, novamente gol anulado. Daniel Alves fez um lançamento perfeito, às costas da zaga. Rigoni saiu na cara de Daniel e fuzilou. O VAR revisou e concluiu que o atacante estava milimetricamente à frente e deu impedimento.

Por mais que estivesse desorganizado, o Inter teve uma chance claríssima para empatar. Patrick, aos 20, deixou Caio Vidal cara a cara com Tiago Volpi. O atacante tentou encobrir o goleiro e isolou.

Pouco depois, a mesma chance. Yuri Alberto fez pivô e passou a Dourado, que esticou para Patrick. O camisa 88 devolveu ao volante. De primeira, Dourado deixou Caio Vidal, de novo, na frente do goleiro e sem marcação. Desta vez, a conclusão foi em cima de Volpi.

Aguirre mexeu no time ainda no primeiro tempo. Mas por necessidade. Mauricio, em uma tentativa de atacar, embolou-se com a defesa do São Paulo e, na queda, torceu o pé. Não aguentou as dores e deu lugar a Boschilia.

Os problemas colorados na defesa seguiam escancarados. O São Paulo apertou a marcação, recuperou e a bola chegou até Rigoni. Ele cortou para a esquerda e bateu, para defesa de Daniel. Logo depois, Pedro Henrique errou um domínio e Rigoni tentou encobrir o goleiro, mas concluiu para fora.

O atacante argentino, que tomou conta da defesa colorada, deixou de fazer o segundo nos acréscimos. Ele teve vantagem pelo alto e aparou de cabeça um cruzamento da esquerda. Daniel fez uma grande defesa. Para alívio do Inter, o primeiro tempo acabou só 1 a 0.

O time voltou com uma troca: entrou Saravia, saiu Lucas Ribeiro. Com isso, Bruno Méndez foi para a zaga. No São Paulo, Crespo mexeu na dupla de ataque, tirando Eder e Rigoni, colocando Vitor Bueno e Rojas.

O segundo tempo começou da mesma forma do primeiro. Um Inter atordoado escapou duas vezes, antes do quarto minuto, de levar o segundo gol. A primeira foi com Arboleda concluindo por cima uma cobrança de falta para área; na segunda, Vitor Bueno recebeu na área e tirou do goleiro, mas também da trave, por pouco.

Era questão de tempo o segundo gol. E veio aos oito minutos. Uma falta cobrada por Daniel Alves para a área foi apenas parcialmente afastada pela defesa. Igor Gomes, de voleio, pegou o rebote e fez um golaço.

Imediatamente, Aguirre fez mais duas trocas: Yuri Alberto e Patrick deixaram o campo para os ingressos de Galhardo e Palacios.

Apesar das trocas, o panorama se alterava. Galhardo até conseguia uma ou outra vantagem, mas quase nada de efetivamente produtivo. Os únicos lances um pouco mais perigosos foram de cruzamentos, mas em todos a defesa são-paulina teve vantagem. Dourado, exausto, saiu do jogo, entrou Lindoso.

Os minutos passaram lentamente até o final, e um Inter completamente abatido aceitou a terceira derrota em casa no Brasileirão. São dois pontos nos últimos quator jogos. E no sábado tem Gre-Nal.

FICHA TÉCNICA

Brasileirão — 10ª rodada — 7/7/2021

Inter
Daniel; Bruno Méndez, Pedro Henrique, Lucas Ribeiro (Saravia, int.) e Paulo Victor; Rodrigo Dourado (Lindoso, 33’/2ºT) e Johnny; Caio Vidal, Mauricio (Boschilia, 36’/1ºT) e Patrick (Palacios, 12’/2ºT); Yuri Alberto (Galhardo, 12’/2ºT). Técnico: Diego Aguirre.

São Paulo
Tiago Volpi; Arboleda, Bruno Alves (Diego Costa, 37’/2ºT) e Léo; Daniel Alves, Luan, Rodrigo Nestor (Liziero, 33’/2ºT), Igor Gomes (Talles Costa, 43’/2ºT) e Welington; Rigoni (Vitor Bueno, int.) e Eder (Rojas, int.). Técnico: Hernán Crespo.

Gols: Rigoni (S), a um minuto do primeiro tempo; Igor Gomes (S), aos 8min do segundo tempo.
Cartões amarelos: Paulo Victor (I); Bruno Alves, Igor Gomes, Léo (S).
Local: Estádio Beira-Rio
Arbitragem: Bruno Arleu de Araújo, auxiliado por Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Michael Correia. VAR: Rodrigo Nunes de Sá (todos do RJ).

Próximo jogo

Brasileirão — 11ª rodada
10/7/2021 — 16h30min
Grêmio x Inter

ZH

voltar
© Copyright 2019