Inter sai na frente, mas leva virada do Táchira e pode perder a liderança do Grupo B

Sinal de alerta ao Inter. Em uma partida que tinha tudo para encaminhar a classificação na Libertadores, o time de Miguel Ángel Ramírez perdeu de virada para o Táchira, fora de casa, por 2 a 1, e se complicou na competição. Na semana que vem, enfrentará o Olimpia, no Paraguai, precisando de resultado. Antes, terá um Gre-Nal pela final do Gauchão.

Ramírez apresentou duas novidades há bastante tempo aguardadas pelos colorados. A primeira foi Saravia titular, 224 dias depois da lesão de ligamentos que o afastou da equipe. A outra, escalar juntos Galhardo e Yuri Alberto. As outras mudanças foram a presença de Nonato e Marcos Guilherme como titulares — Edenilson e Palacios ficaram no banco.

O gramado, como havia alertado o técnico do Táchira, era diferente da média, mais alto, o que deixava a bola mais lenta. Então o começo foi de adaptação. Mas ainda assim, aos três minutos, o Inter teve chance clara. Em tabela rápida de Nonato e Moisés, o lateral foi ao fundo e cruzou na cabeça de Yuri Alberto, que concluiu a centímetros da trave.

Conforme ia se entendendo mais com as condições do campo, o Inter passava a se impor. Chegava com frequência até a intermediária do adversário, mas tinha dificuldade para concluir. Taison teve duas oportunidades, mas chutou uma por cima e na outra tentou passar e foi interceptado.

Inclusive, desse lance saiu a melhor chance do Táchira. Góndola foi lançado e, em condição legal, arrancou para ficar cara a cara com Marcelo Lomba. Sozinho, com tempo, o atacante tentou deslocar o goleiro e jogou para fora. A resposta colorada saiu no minuto seguinte. Saravia e Marcos Guilherme combinaram, o argentino foi ao fundo e cruzou. O goleiro espalmou, a bola bateu em Galhardo e saiu por pouco.O ritmo aumentou, e o Inter quase marcou aos 33. Moisés foi na linha de fundo, driblou e cruzou rasteiro. Galhardo, meio sem querer, colocou o calcanhar na bola, mas o goleiro, atento, defendeu. Pouco depois, uma longa troca de passes fez a bola chegar até Yuri Alberto, que bateu cruzado e ninguém apareceu para botar o pé e empurrar para a rede.O 0 a 0 permaneceu até o intervalo. Mas o ritmo colorado voltou diferente no segundo tempo. Mais aceso, partiu em busca da vitória já nos primeiros minutos. E o gol chegou de pênalti. Em cobrança de escanteio, Cuesta foi agarrado por Góndola. A falta foi tão flagrante que o zagueiro colorado acabou o lance sem camisa. Galhardo cobrou com força, no meio do gol, e venceu o goleiro: Inter 1 a 0, seis minutos.A partida ficaria à feição para o Inter, que poderia aproveitar os contra-ataques. Mas antes, Lomba precisou trabalhar. Após um cruzamento, Góndola matou no peito e girou com estilo.

O goleiro colorado fez grande defesa. Aos 20, lance inacreditável. Apesar de ter a vantagem, os colorados é que foram contragolpeados. Hernández lançou Greco, que entrou sozinho. Lomba cresceu e fez grande defesa. A bola voltou para Hernández, que carimbou a trave, já sem goleiro. Ainda com Lomba fora, Góndola concluiu e Dourado salvou em cima da linha.

Na sequência, outra chance claríssima em cruzamento para a área que o atacante arrumou para trás e Vivas bateu. O goleiro colorado fez mais uma grande intervenção.

A resposta veio dois minutos mais tarde, com Galhardo lançando Yuri Alberto, que ganhou da defesa na velocidade e tentou tirar do goleiro, mas Varela salvou.

Percebendo que o momento era do Táchira, Ramírez reforçou o meio. Entraram Edenilson e Praxedes, saíram Taison e Nonato. Ainda que tivesse muito mais qualidade, o Inter não conseguia se impor. O empate dos venezuelanos estava pronto. E chegou com um misto de falha e falta de sorte. Hernández cruzou, Zé Gabriel cortou mal, a bola desviou em Cuesta e voltou para o pé de Hernández, que venceu Lomba: 1 a 1.

A situação ficou ainda pior nos minutos finais. Um balão para cima do Táchira, aos 40, estava controlado por Edenilson. Ele quis proteger para Lomba, mas Angarita se antecipou e foi derrubado. Pênalti. Cova bateu forte, no alto, e virou o jogo.

O Inter não teve forças para reagir. Vai pressionado para o Gre-Nal. Pelo clássico em si e pela situação na Libertadores.

Libertadores — 4ª rodada — 11/5/2021

Táchira (2)
Varela; Camacho, Vivas, Trejo e Granados; Flores, Cova, Covea (Velasco, 44’/2ºT); Góndola (Chacón, 28’/2ºT), Pérez Greco (Hernández, 15’/2ºT); Gómez (Angarita, 28’/2ºT)
Técnico: Juan Tolisano

Inter (1)
Marcelo Lomba; Saravia (Rodinei, 13’/2ºT), Zé Gabriel, Cuesta e Moisés; Dourado (Lindoso, 34’/2ºT), Nonato (Edenilson, 23’/2ºT), Taison (Praxedes, 23’/2ºT), Marcos Guilherme (Mauricio, 13’/2ºT); Thiago Galhardo e Yuri Alberto
Técnico: Miguel Ángel Ramírez

Gols: Galhardo (I), aos seis, Hernández, aos 33, e Cova, aos 41 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Gómez, Camacho, Granados, Covea (T); Dourado, Saravia, Galhardo (I)
Local: Estádio Pueblo Nuevo, San Cristóbal
Arbitragem: Wilmar Roldán, auxiliado por Miguel Roldán e Richard Ortiz (trio colombiano)

Próximo jogo
Gauchão — Final (jogo de ida)
16/5/2021 — 16h
Inter x Grêmio

ZH

voltar
© Copyright 2019