Inter vence mais uma e Grêmio pede anulação da partida contra o São Paulo no Brasileirão

Campeonato Brasileiro: Grêmio pedirá anulação de jogo com o São Paulo

O Grêmio vai pedir a anulação da partida contra o São Paulo, realizada no sábado (17), no Morumbi, que acabou em 0 a 0. O tricolor gaúcho não gostou do fato de Raí, diretor-executivo de futebol do São Paulo, ter conversado sobre a arbitragem com dirigentes da CBF. Depois da conversa, houve uma mudança nos profissionais que atuaram no jogo.
Durante a partida, Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, e o zagueiro Geromel reclamaram de um pênalti não marcado, em lance no início do segundo tempo.
Maicon levantou a bola na área dos são-paulinos, Geromel cabeceou para o meio e Kannemann, que se chocou com Reinaldo, mandou para fora. Geromel e Renato Gaúcho pediram pênalti, mas o árbitro Rafael Traci os ignorou e deu cartão amarelo para o zagueiro.
O Grêmio também pediu a expulsão de jogadores são-paulinos em outros três lances da partida, e questiona a ausência de checagem dos lances pelo VAR.
“Equívocos, descritérios, erros e a omissão do VAR em lances capitais da partida colocam a arbitragem brasileira sob suspeição”, afirmou Romildo Bolzan Júnior, presidente do Grêmio, ao site do clube.
Folhapress

Inter vence o Vasco e reassume liderança do Brasileirão

Inter cumpriu o papel de um time que almeja brigar pelo título do Campeonato Brasileiro diante do Vasco, no começo da noite deste domingo (18), no Beira-Rio. Pressionado pela goleada do Flamengo sobre o Corinthians, o Colorado teve uma atuação de luxo no primeiro tempo para conquistar a vitória de 2 a 0 com gols de Edenilson e Galhardo, na etapa inicial. Foi a primeira vez que a equipe chegou a quatro vitórias seguidas sob o comando de Eduardo Coudet.

Com o resultado, o Inter chega aos mesmos 34 pontos do Flamengo, mas leva vantagem no saldo de gols. O Colorado agora torce por um tropeço do Atlético-MG, que joga nesta segunda-feira com o Bahia, em Salvador. Se vencer, o Galo recuperará a ponta pelo número de vitórias.

O Inter volta a campo na quinta-feira, às 21h30min, para enfrentar a Universidad Católica, no Chile, em busca da vaga nas oitavas de final da Libertadores. Pelo Brasileirão, o próximo compromisso será no domingo, no Beira-Rio, diante do Flamengo em confronto direto na briga pelo topo da classificação.

Mesmo tendo o compromisso com a Católica na quinta, Eduardo Coudet mandou a campo todos os titulares à disposição para enfrentar o Vasco em partida que marcou a estreia da camisa rosa, que foi sucesso de vendas no lançamento na sexta-feira. Com o novo uniforme, o Inter tinha a necessidade de vencer para terminar o domingo na liderança já que Flamengo havia goleado o Corinthians um pouco antes de a bola rolar no Beira-Rio e assumido o primeiro lugar.

O Inter iniciou com o apetite de um time quer brigar pelo título brasileiro. Desde os primeiros minutos, o Colorado ocupou o campo do Vasco e foi buscando espaços para finalizar. A marcação do time carioca era organizada pelo centro, mas dava espaços pelo lado. Assim, as chances foram sendo criadas em cruzamentos.

A primeira veio com Abel Hernández, que cabeceou fraco para defesa tranquila de Fernando Miguel aos 3 minutos. Aos 11, o goleiro vascaíno teve mais trabalho. Thiago Galhardo aproveitou o cruzamento de Rodinei e testou firme no canto. O gol só não saiu porque Miguel demonstrou muita agilidade para fazer a defesa.

Aos poucos, o Vasco conseguiu sair do seu campo deixando o jogo mais aberto para o Inter, que seguia criando. Aos 23, novamente Thiago Galhardo cabeceou para fora. O gol gaúcho veio na sequência. Em uma jogada que começou com um passe do zagueiro Zé Gabriel para romper a tentativa de pressão vascaína no campo de ataque, a bola passou por Marcos Guilherme e Patrick até chegar a Galhardo, que, dessa vez, foi garçom. Ele tocou de primeira para Edenilson bater de forma tão certeira que Fernando Miguel sequer conseguiu se mexer.

A vantagem não fez o Inter diminuir o ritmo. Abel Hernández teve oportunidade para ampliar logo em seguida, mas foi Galhardo quem brilhou. Aos 34, ele sofreu pênalti de Leandro Castán. Foram quatro minutos de espera até o camisa 17 fazer a cobrança mandando no canto oposto ao que caiu Fernando Miguel para ampliar a vantagem. O Inter foi para o intervalo com um placar de 2 a 0 condizente ao domínio de uma equipe que teve com 68% de posse de bola e nove finalizações no primeiro tempo.

A segunda etapa teve um início de diferente da primeira. O Vasco voltou do intervalo pressionando, o que logo irritou o técnico Eduardo Coudet, que gritava a todo momento para o seu time sair do campo de defesa. Aos 2 minutos, Germán Cano levou perigo em chute que passou perto da trave direita de Lomba.

O Inter teve uma grande chance para o terceiro gol aos 10. Uendel cruzou na medida para Thiago Galhardo, que bateu de primeira, mas Fernando Miguel fez uma bela defesa. Foi uma rara escapada colorada. Na sequência, Cano ameaçou novamente parando em defesa de Marcelo Lomba.

Com o cronômetro chegando aos 20 minutos, Coudet fez a sua primeira troca. Yuri Alberto foi chamado para o lugar de Abel Hernández, que demonstrava sinais de cansaço. Logo depois, o Inter perdeu Victor Cuesta para o confronto com o Flamengo. O argentino, que estava pendurado, deu uma entrada forte em Talles Magno e levou o amarelo.

O Inter conseguiu controlar as investidas do Vasco na reta final da partida, quando D’Alessandro e Rodrigo Dourado entraram nos lugares de Patrick e Galhardo. A suspensão de Cuesta acabou sendo a única má notícia em uma noite que o Inter cumpriu a missão de vencer e assumir de forma provisória a liderança.

Brasileirão — 17ª rodada — 18/10/2020

INTER (2)
Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso (Rodrigo Moledo, 41’2T), Marcos Guilherme (Praxedes, 41’2T), Edenilson e Patrick; (Rodrigo Dourado, 30’/2T); Thiago Galhardo (D’Alessandro, 30’/2T) e Abel Hernández (Yuri Alberto, 20’/2T).
Técnico: Eduardo Coudet

VASCO (0)
Fernando Miguel; Pikachu, Miranda, Leandro Castán e Henrique; Andrey (Fellipe Bastos, 44’2T), Marcos Jr. (Guilherme Parede, 24’/2T), Carlinhos e Martín Benitez (Vinícius, 34’2T); Thalles Magno e Germán Cano.
Técnico: Alexandre Grasselli (interino)

GOLS: Edenilson, aos 24, Thiago Galhardo, aos 38 minutos do primeiro tempo;
CARTÕES AMARELOS:  Cuesta (I);  Leandro Castán (V)
ARBITRAGEM: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Kleber Lúcio Gil e Alex dos Santos. VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (quarteto catarinense)
LOCAL: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Próximo jogo
Universidad Católica x Inter
22/10/2020, quinta-feira — às 21h30min
Estádio San Carlos de Apoquindo — Libertadores

FOLHA E ZH

voltar
© Copyright 2019