La Niña deve durar até o fim do verão e afetar a safra 2020/21

O relatório mais recente do Departamento de Meteorologia dos Estados Unidos (Noaa) aponta 85% de chance de o La Niña durar até o fim do verão, influenciando a safra 2020/2021, da instalação à colheita.

A editora de Tempo do Canal Rural, Pryscilla Paiva, um dos efeitos do fenômeno já está sendo sentido: o atraso na regularização da chuva no Brasil central. Posteriormente, a expectativa é de que o La Niña provoque estiagem em parte do Sul e invernada na colheita do Sudeste e Centro-Oeste. A única região favorecida será o Nordeste.

Mas, no curto, prazo, a chuva deve retornar ao interior do país. Uma frente fria se conecta à umidade da Amazônia e forma um corredor que vai do Norte ao Sudeste, passando pelo Centro-Oeste.

Nesta quinta-feira, 8, já foram registradas nuvens carregadas no Sudeste e Sul, onde voltou a chover, inclusive com fortes rajadas de vento. No sábado, 10, a previsão do tempo indica pancadas em todo Centro-Oeste e Sudeste. Com o retorno da chuva, a tendência é que o calor perca força.

Canal Rural

voltar
© Copyright 2019