Mais de 380 famílias saíram de casa em função da chuva no Estado

A Defesa Civil informou no fim da tarde desta terça-feira (18) que 383 famílias tiveram que sair de casa em função dos danos causados pela chuva no Rio Grande do Sul: são 259 famílias desalojadas e 124 desabrigadas.

Conforme o último balanço do órgão, dos 46 municípios afetados pelas chuvas intensas, 12 já encaminharam pessoas para outras residências ou abrigos: são as cidades de Novo Hamburgo, Pantano Grande, Montenegro e Parobé, na Região Metropolitana, Cachoeira do Sul, na Região Central, Alegrete, da Fronteira Oeste, Frederico Westphalen, da Região Norte, Taquari e Lajeado, do Vale do Taquari, e São Sebastião do Caí, Nova Petrópolis e Picada Café, da Serra.

A situação mais grave é dos municípios de Pantano Grande, São Sebastião do Caí e Novo Hamburgo. De acordo com o balanço da Defesa Civil, 1.332 residências foram atingidas pelos alagamentos e vendavais no Estado.

Falta de luz

Caiu para pouco mais de 22 mil o número de clientes sem energia elétrica no Estado: são 5 mil pontos sem luz na área de concessão da RGE e 17.334 na região atendida pela AES Sul. Desses, 3.334 foram afetados por desligamentos preventivos em função de estarem em áreas alagadas, principalmente em São Sebastião do Caí. A água está muito perto ou encostando na rede elétrica.

Previsão do tempo

A Defesa Civil mantém alerta até o próximo sábado (22) em função da previsão de chuva, que deve agravar a situação dos rios, que seguem em elevação. Existe possibilidade de inundação gradual. Até a quinta-feira (20) estão previstos valores acumulados de até 120 milímetros.

As áreas de maior risco são Oeste, Campanha, Noroeste, Vale do Caí, Vale do Taquari, Vale dos Sinos, Região Metropolitana e alguns pontos no Norte do Estado.

As bacias hidrográficas que exigem mais atenção são: Alto Jacuí, Taquari- Antas, Caí, Sinos e Pardo, Butuí-Icamaquã, Ibicuí e Quaraí. 

GAÚCHA

voltar
© Copyright 2019