MEC adia assinatura de portaria que autoriza dois novos cursos de Medicina no Rio Grande do Sul

O Ministério da Educação (MEC) adiou a assinatura da portaria para funcionamento dos novos cursos de Medicina no Rio Grande do Sul, prevista para ocorrer nesta terça-feira (25). As universidades Feevale e Unisinos foram informadas hoje que o evento ficou para o dia 1º de agosto. No entanto, o MEC não confirma a nova data, diz apenas que houve um "problema de agenda".

Com a assinatura do documento e publicação da portaria no Diário Oficial, as instituições de ensino estarão autorizadas a dar início às atividades dos cursos. As duas universidades esperam abrir as 125 vagas no segundo semestre deste ano, mas ainda dependem da nova agenda do MEC. A seleção dos estudantes será feita pelas notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

 
 

 

— A gente está com tudo pronto para abrir o curso. Contratamos professores, fizemos investimentos em laboratórios. Mas se der tudo certo na semana que vem, vamos conseguir viabilizar o curso ainda este ano — afirma o diretor da Unidade Acadêmica de Graduação da Unisinos, Gustavo Borba.

Segundo ele, a expectativa inicial era de começar as atividades no começo deste ano, mas o MEC atrasou o processo de liberação. A última etapa antes da autorização definitiva foi uma visita presencial de técnicos do ministério para vistoria da estrutura, o que ocorreu em 24 de abril.

A previsão é que, se a portaria for publicada no início de agosto, as aulas possam começar dentro de um mês, com fim do calendário do primeiro semestre em janeiro de 2018. São 65 vagas no campus de São Leopoldo.

Na Feevale, os técnicos do Ministério da Educação fizeram a visita presencial no começo de junho deste ano. A pró-reitora de Ensino, Cristina Ennes da Silva, afirma que a instituição está pronta para abrir a seleção dos 60 novos alunos, também por meio do Enem, assim que a portaria for publicada no Diário Oficial.

Os valores das mensalidades nas duas universidades ainda não foram definidos.

Outra instituição que teve aprovação para abertura de curso de Medicina é a Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), em Erechim. No entanto, a vistoria in loco do MEC ainda não foi realizada, o que deve ficar para agosto. A previsão de começo das aulas é para o ano que vem.

O edital inicial para vagas em Medicina, dentro do programa Mais Médicos, previa ainda a abertura de um curso em Ijuí, com 50 vagas. No entanto, o Grupo Estácio, que venceu o processo, desistiu da implementação do curso. Um novo edital foi aberto no começo deste mês e o resultado deve ser divulgado em outubro.

Quando os quatro novos cursos estiverem em operação, o Rio Grande do Sul passará a contar com 20 opções de graduação em Medicina.

ZERO HORA

voltar
© Copyright 2019