MP do RS denuncia oito por fraude em concurso de Encruzilhada do Sul

O Ministério Público de Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo, deve dar continuidade, nos próximos dias, à denúncia contra oito pessoas envolvidas na fraude de um concurso público realizado em 2011. Entre os investigados está o atual corregedor da prefeitura.

Uma investigação da Promotoria de Justiça Criminal de Porto Alegre constatou fraudes no concurso, e denunciou oito pessoas por formação de quadrilha, falsidade ideológica e corrupção ativa e passiva.

Conforme o Ministério Público, Rafael Baroni de Barro, que na época atuava como secretário da Administração de Encruzilhada do Sul, teria procurado Maicon Cristiano de Mello, sócio do Instituto de Desenvolvimento em Recursos Humanos, empresa contratada para realizar as provas, e entregue dinheiro para garantir que ele, amigos e protegidos políticos tivessem vantagem.

De acordo com a denúncia, Maicon teria reimpresso os cartões de resposta e entregue os documentos em branco a Rafael, que teria recolhido a assinatura dos dois denunciados. Os documentos, então, retornaram para Maicon, que seria o responsável pelo preenchimento com as respostas, para garantir as primeiras colocações no concurso.

Outras duas pessoas teriam sido contratadas como laranjas para despistar qualquer suspeita. Conforme o Ministério Público, as irregularidades foram comprovadas por meio de escutas telefônicas e quebra de sigilo de email.

Conforme o procurador responsável pela investigação em Encruzilhada do Sul, Rafael já responde por uma outra denúncia de improbidade administrativa em 2013.

Rafael Baroni, procurador-geral de Encruzilhada do Sul, e Maicon Cristiano de Mello, sócio da empresa responsável pelo concurso, disseram que só vão se manifestar na Justiça. Já a prefeitura informou, por meio de nota, que não vai acobertar delitos, nem julgar as decisões que forem tomadas acerca do caso. À pedido do prefeito da cidade, Rafael continuará no cargo.

voltar
© Copyright 2019