MP quer pena maior para um dos acusados do Caso Bernardo

O Ministério Público (MP) protocolou, nesta quarta-feira (19), recurso contra decisão que reduziria a pena – em caso de condenação – de Evandro Wirganovicz, um dos denunciados pelo assassinato do menino Bernardo Boldrini, em abril de 2014. O MP recorre da retirada da qualificadora de motivo torpe referente ao réu.

Segundo o MP, Evandro foi o responsável por cavar o buraco onde o corpo de Bernardo foi enterrado. No entendimento do promotor Bruno Bonamente, é um equívoco a Justiça retirar o agravante de motivo torpe, pois, na denúncia, há a indicação de que Evandro auxiliou no crime em troca de dinheiro.

Esta retirada reduz a pena, se o acusado for condenado.

Recentemente, a Justiça decidiu que Evandro Wirganovicz, a irmã dele, Edelvânia Wirganovicz, a madrasta de Bernardo, Graciele Ugulini, e o pai do menino, Leandro Blodrini, vão ser julgados pelo Tribunal do Júri.

Caso Bernardo

Bernando Uglione Boldrini, 11 anos, foi encontrado morto no dia 14 de abril de 2014, após dez dias desaparecido. O corpo do menino estava em um matagal, enterrado dentro de um saco, na localidade de Linha São Francisco, em Frederico Westphalen. Bernardo morava com o pai, o médico-cirurgião Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, e uma meia-irmã, de 1 ano, no município de Três Passos.

O pai, a madrasta e uma amiga dela, Edelvânia Wirganovicz, respondem na Justiça por homicídio quadruplamente qualificado (motivos torpe e fútil, emprego de veneno e recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver. O irmão de Edelvânia, Evandro, também responde por ocultação de cadáver. O pai de Bernardo ainda é acusado por falsidade ideológica.

GAÚCHA

 
 
voltar
© Copyright 2019