“Não é fácil começar já em um mata-mata”, diz Cuesta sobre jogo do Inter na pré-Libertadores

Na véspera da estreia do Inter na fase preliminar da Libertadores, em Santiago, o zagueiro Victor Cuesta projetou uma partida difícil contra a embalada Universidad de Chile, que venceu uma partida do campeonato nacional por 5 a 1 no final de semana. “Nos preparamos e treinamos bastante para esse mata-mata. Importante é o que grupo fez até agora, conseguindo três vitórias e um empate, isso dá confiança e a gente vai encarar essa partida da melhor maneira possível”, afirmou o argentino que comanda o setor defensivo do Colorado. “Não é fácil começar já em um mata-mata, mas jogar a Libertadores é sempre bom e gente quer entrar na fase de grupos.”

Em meio aos protestos em Santiago – que acabaram por forçar o adiantamento da partida – Cuesta ressaltou que “o país passa por uma situação não muito agradável”, mas apontou que os atletas precisam focar em seu trabalho dentro de campo. Questionado sobre adaptação ao estilo tático proposto pelo treinador Eduardo Coudet, ele destacou o entrosamento entre técnico e plantel: “Eu acho que captamos muito rápido a ideia, tem coisa a melhorar como equipe toda, mas acho que dá para ver que o time desempenha, se sente cômodo, então tem que continuar trabalhando”, respondeu. “A gente compreende, se sente confortável, obviamente precisa mais de trabalho.”

Cuesta aponta perigos da La U

O zagueiro comentou que o adversário “é um time muito importante, que já participou várias vezes de Sul-Americana, de Libertadores, então a gente vê que não vai ser fácil”. Sobre os destaques, comentou que é uma equipe que atua muito no coletivo e destacou um compatriota, Joaquín Larrivey, autor de quatro gols no sábado. “Argentino, conhecido, jogador experiente. Jogador bom, que joga para o grupo, então temos que estar concentrados amanhã”, avaliou.

voltar
© Copyright 2019