Novas regras para cursos EaD devem dobrar ofertas no Rio Grande do Sul em 2018

Atualmente mais de 100 mil alunos estão matriculados em cursos de Educação a Distância (EaD) no Rio Grande do Sul. Com a nova regulamentação, aprovada pelo Ministério da Educação (MEC) em maio deste ano, esse número vai aumentar.

Das 115 instituições de ensino superior do estado, apenas nove oferecem cursos a distância. De acordo com as novas regras, o tempo para credenciamento no MEC está menor. Além disso, apenas instituições com médias acima de 3, numa escala de 1 a 5, podem fazer o credenciamento para dar aulas a distância.

O EaD foi a alternativa encontrada pela estudante Franciele Martins Mota para cursar marketing. "Não tem gasto com passagem, alimentação, que em um presencial teria, e a locomoção. Falta de tempo, o trabalho, porque te exige muito e a carga horária do trabalho não consegue conciliar com os estudos", explica.

Com as novas regras do MEC, porém, a expectativa do setor é que o número de cursos dobre a partir do ano que vem. "Vai facilitar a entrada de novas instituições, dando a segurança pra que eles tenham na sua região, na sua cidade, a condição de ofertar essa educação, facilitando a concorrência, a competitividade, as normas para a entrada e também dando um olhar pra qualidade, para a fiscalização, o que não tinha antes", afirma o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, Henrique Sartori.

O presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe), Bruno Eizerik, também vê vantagens com a mudança. "A instituição vai poder oferecer um número de vagas de acordo com a avaliação que ela tem pelo MEC. Quanto melhor é avaliada a instituição, mais vagas elas vai poder oferecer em EaD, então isso é um ponto importante", explica.

voltar
© Copyright 2019