Piratini vai solicitar permanência da Força Nacional de Segurança no RS

A permanência da Força Nacional de Segurança em solo gaúcho será um dos pedidos que o secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, fará ao governo federal na próxima semana. Ele irá se encontrar com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, na terça-feira (27), em Brasília. Sem renovação, os 200 agentes cedidos pela União terão que deixar o solo gaúcho em julho.

O objetivo é manter as operações especiais realizadas pelo efetivo em Porto Alegre. Desde o desembarque no Estado, em agosto de 2016, a Força Nacional de Segurança atua junto a policiais da Brigada Militar. Em fevereiro deste ano, o Ministério da Justiça prometeu o pagamento das horas extras dos brigadianos com a liberação de cerca de R$ 2,3 milhões, recurso que nunca chegou ao Estado.

– Houve uma promessa, mas o governo federal não repassou – lamenta Schirmer.

No início de 2017, o Rio Grande do Sul foi escolhido como um dos três Estados que receberiam ações de combate à violência de forma experimental. Além das horas extras, foi prometido o envio de 36 policiais rodoviários federais para atuação nas áreas de fronteira, combatendo o tráfico de drogas e armas. Essa ação também não foi concluída.

Vai e vem

Na segunda quinzena de julho, cerca de 200 brigadianos do interior que foram deslocados a Porto Alegre voltarão às cidades de origem. Outros 150 agentes dos Batalhões de Operações Especiais (BOEs) de Passo Fundo e de Santa Maria também devem voltar. A decisão, nesse caso, ainda não foi tomada. O próximo mês também marcará a formatura de 1.060 novos policiais militares que serão integrados ao efetivo da Brigada.

GAÚCHA

voltar
© Copyright 2019