Polícia paraguaia prende principal líder de facção do tráfico de POA

A polícia paraguaia prendeu o principal líder de uma das facções do tráfico de drogas em Porto Alegre e mais três integrantes nesta quinta-feira (12), na cidade de Pedro Juan Caballero. De acordo com o delegado Sander Cajal, o traficante foragido Jackson Peixoto Rodrigues, conhecido como Nego Jackson, tem nove prisões preventivas decretadas e uma lista extensa de antecedentes criminais, como homicídios, mandados de mortes, roubos e ocorrências associadas ao tráfico.

Ainda segundo o delegado, o grupo rival na Capital chegou a oferecer R$ 100 mil para que quem o executasse. O criminoso foi encontrado com os outros três após monitoramento dos agentes do Paraguai. Eles foram flagrados com armas, celulares e documentos falsos, e são suspeitos de matarem dois traficantes em Assunção. O delegado Cajal afirma que é comum que os traficantes brasileiros passem pelo Paraguai, utilizando o país na comercialização de drogas. Os quatro estão sendo autuados no país pelo porte de armas, mas a Polícia Civil gaúcha tenta trazer o grupo para o Brasil. 

"Vamos tentar trazê-los para cá, mas nada é garantido no momento. Trata-se de outra legislação, então é preciso dialogar com o governo paraguaio", explica o delegado.

A identificação dos outros três presos e as circunstâncias em que ocorreram as prisões ainda não foram divulgadas. A imprensa paraguaia afirma que o assassinato de dois brasileiros no país pelo qual os quatro homens são acusados ocorreu no dia 2 de janeiro. A principal hipótese da investigação é de que as vítimas pertenceriam à gangue rival dos presos em Porto Alegre.

Em agosto de 2016, o líder da facção criminosa rival de Porto Alegre também foi preso no Paraguai, na Ciudad del Este. Segundo o delegado Arthur Ralsi, José Dalvani Nunes Rodrigues, de 34 anos, era um dos principais responsáveis pelo tráfico de drogas na zona norte, especialmente no bairro Rubem Berta. 

GAÚCHA

voltar
© Copyright 2019