Pré-candidato a Governador pelo PDT, Jairo Jorge visita Catuípe

Catuípe  recebeu nesta quarta-feira (29) o pré-candidato ao Piratini.

Em visita à prefeitura municipal, Jairo Jorge conversou com o jornalista Leandro Benetti e explicou os seus planos para o Estado e o porquê de querer governar um Estado em crise há décadas, para muitos ingovernável.

Apesar de ser oriundo do PT, partido pelo qual elegeu-se duas vezes Prefeito de Canoas, Jairo diz que deseja trilhar um novo caminho que não seja o da polarização entre PMDB e aliados, e PT. Ele defende que não é mais possível governar em um contexto de vencidos e vencedores e diz que, se eleito, tentará pactuar o Estado para unir todos os gaúchos.

Começará, diz, pelo diálogo. Pautado na conversa com servidores públicos, cidadãos e atrelado na educação.

 

Jairo Jorge estava acompanhado de uma comitiva, composta pelo deputado Gerson Burmann, lideranças municipais e estaduais do PDT e vereadores do partido.

O novo caminho que Jairo propõe passa também pela inovação. Vai visitar todas as cidades do RS, das quais esteve em mais 250, antes de oficializar sua pré-candidatura. Em Catuípe de forma oficializada, diz que chegou a hora do PDT. “Estou preparado para o desafio”, assegurou o político.

 

Jairo Jorge citou a força do partido no município, se disse fortalecido pela recepção e a continuidade do trabalho. Ao lado do deputado Gerson Burmann, do ex-prefeito de Ijui Fioravante Ballin, do prefeito de Catuípe Joelson Baroni, agradeceu a parceria e destacou que trabalhará de forma descentralizada. Cada cidade terá um representante para melhor administrar os anseios das comunidades gaúchas.

Na base da humildade, prometeu uma campanha com poucos recursos, mas olho no olho. Ouvir todos, para governar em prol daquilo que o eleitor almeja para crescimento do Estado. Não esconde a preocupação com a turbulência gerada pela crise.

“Alguns acham que a crise não existe, outros acham que a crise é insolúvel, eu não concordo com nenhuma dessas teses, acho que a crise é profunda, mas tem solução. Tendo esta crença, eu não posso jamais cruzar os braços diante disso. O Martin Luther King dizia que o que incomodava ele não era o grito dos maus, dos corruptos, dos sem caráter, o que incomodava ele era o silêncio dos bons. As pessoas de bem, independente da sua formação ideológica, da sua opção partidária, não podem silenciar. Tenho este sonho que é ser governador do Estado, vou ser candidato para levar esperança e quero ser governador para transformar o Rio Grande”, enfatizou.

voltar
© Copyright 2019