Preço dos combustíveis pode subir até 17% no curto prazo

Greve de caminhoneiros provoca fila para abastecimento de combustível em posto de gasolina no Rio de Janeiro.

Os preços dos combustíveis da Petrobras podem ter uma nova alta de até 17% no curto prazo, disse Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, após a estatal anunciar um aumento de 7,05% na gasolina e de 9,15% no diesel nesta segunda, 25.

“Mesmo após a elevação ser efetivada, motivados pela pressão cada vez maior exercidas pelo câmbio e pelo barril de petróleo, estimamos que ainda exista espaço potencial de nova elevação de até 17% por parte da Petrobras no curto prazo. Contudo, vale comentar que na semana passada, no auge da crise política que deteriorou ainda mais o câmbio, a defasagem chegou a se aproximar dos 30%”, disse Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

O economista também explica que, em relação ao impacto no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o reajuste na refinaria afetaria as bombas apenas na segunda quinzena de novembro, com impacto proporcional no IPCA de novembro e integral a partir de dezembro.

“Estimamos que os impactos serão de 7 bps em novembro e 8 bps em dezembro, mas como já contávamos com a elevação da Petrobras, nós antecipamos e já havíamos incorporado um reajuste pouco maior do que esse para os próximos IPCA na nossa curva anual”, finalizou Étore Sanchez.

Canal Rural

voltar
© Copyright 2019