Primeiro dia de vacina contra a gripe tem filas e muita procura nas principais cidades do RS

primeiro dia de vacinação contra a gripe formou filas e teve grande movimentação em postos de saúde das principais cidades do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (23). Em Porto Alegre, 2.167 doses foram aplicadas somente no primeiro dia da campanha.

No Posto de Saúde Modelo, na capital gaúcha, as filas começaram a se formar nas primeiras horas do dia. "Muito importante para nós e para o bebê. Muito importante para a saúde", diz a dona de casa Fernanda Silveira Santos.

Por enquanto, a vacina seja voltada apenas para o grupo de risco, que inclui crianças, idosos, gestantes, doentes crônicos, além de trabalhadores da saúde, professores, indígenas e detentos, Ainda assim, a procura foi grande na capital e em outros municípios.

Em Erechim, no Norte do estado, as filas foram grandes nos postos de saúde durante toda a manhã. O movimento também foi intenso nas unidades de atendimento de Uruguaiana, na Fronteira Oeste. "Eu acho que todo mundo tem que se cuidar, porque essa gripe mata", lembra o aposentado Irineu Dorneles .

Desde as primeiras horas do dia, o Centro de Especialidade ficou lotado em Pelotas, na Região Sul. Em Caxias do Sul, na Serra, 115 mil pessoas do grupo prioritário devem ser vacinadas.

Em Passo Fundo, Região Norte, quem tem dificuldade de locomoção pode agendar a vacina em casa. "Eu me vacino todos os anos no primeiro dia e não me dá gripe", conta o aposentado Ari Luz Salvatori.

Dados do informe epidemiológico da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul apontam que até o início de abril de 2018, foram confirmados sete casos de Influenza no estado, que não resultaram em mortes. Os números são menores que os registrados no mesmo período de 2017, quando foram confirmados 15 casos e uma morte.A campanha vai até o dia 1º de junho. Porém, no dia 12 de maio, tem o chamado "Dia D", em que todos os postos de saúde do estado estarão abertos.

A proteção dura aproximadamente um ano. Segundo o Ministério da Saúde, além de diminuir as mortes, a vacina também reduz as internações por pneumonia, por exemplo, entre 35% e 45%.

"A vacina cobre três tipos de vírus Influenza. Todos os casos identificados foram desses subtipos. Então, estamos bem preparados para encarar mais um inverno protegendo o quanto antes a população", afirma o secretário da Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim.

 

Público-alvo

 

 

  • Pessoas a partir dos 60 anos de idade;
  • Crianças de seis meses a cinco anos de idade;
  • Gestantes, ou mulheres que deram à luz há até 45 dias;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Indígenas;
  • Pessoas com doenças crônicas;
  • Professores;
  • Presos.

 

A vacina é produzida a partir de vírus morto e fragmentado, sem risco de causar doença na pessoa vacinada.

A imunização protege contra três tipos de Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. A renovação da dose deve ser feita anualmente.

G R RS 

voltar
© Copyright 2019