Professores do estado declaram greve geral na segunda-feira

O Cpers Sindicato realizou na manhã desta quinta-feira um ato público contra as medidas de Reforma das carreiras e da Previdência dos servidores estaduais do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Os professores ocuparam a Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini e à Assembleia Legislativa.

 

A orientação repassada pelo Cpers/Sindicato hoje foi de não haver aula nas escolas estaduais em todo o RS.

 

A presidente do Cpers, Helenir Schürer, respondeu a supostas críticas do governo, de que o sindicato não teria contribuído dando sugestões ao pacote.

 

– É como pedir para o enforcado contribuir para o enforcamento. Não há como contribuir com um pacote que representa o fim da carreira de professsor e leva à privatização da escola pública – afirmou.

 

Helenir confirmou a greve da categoria a partir de segunda-feira.

 

Os três principais eixos do pacote, que tem uma emenda à Constituição e oito projetos, são a alteração de planos de carreira, o aumento da contribuição previdenciária para quem ganha mais e o corte de gratificações e adicionais por tempo de serviço.

 

A intenção do Piratini é começar a votar os projetos de lei na última sessão ordinária antes do recesso, dia 17 de dezembro, e em sessões extraordinárias nos dias 18 e 19, além de convocar a Assembleia para apreciar a emenda constitucional no final de janeiro, quando os deputados já estarão de volta das férias para a posse da nova mesa, no dia 31.
voltar
© Copyright 2019