Programa incentiva boas práticas no meio rural

Thaís Seganfredo

SENAR-RS/DIVULGAÇÃO/JC

Agricultores participantes têm orientações para melhorar a produção
Agricultores participantes têm orientações para melhorar a produção

O trabalho em conjunto vem melhorando o rendimento e a qualidade de vida de produtores rurais no Rio Grande do Sul. O programa Juntos para Competir atua, desde 2004, com o objetivo de capacitar os agropecuaristas a respeito das melhores práticas de gestão das principais cadeias produtivas do Estado. A bovinocultura de corte e de leite, a ovinocultura e a produção de frutas e hortaliças estão entre as principais áreas contempladas. "Trabalhamos através da formação de grupos de produtores, que se organizam em torno de uma ideia, de um objetivo comum. A partir daí, nós estabelecemos algumas metas e alguns prazos, e o trabalho começa com a identificação das prioridades dentro de cada propriedade", relata o engenheiro agrônomo Antonio Aguinaga, gestor do programa pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS).

O programa é realizado, em conjunto, por Farsul, Senar-RS e Sebrae-RS. Com visitas técnicas, monitoramentos e atividades de gestão e empreendedorismo, os consultores levam às propriedades cadastradas conhecimentos específicos para otimizar a produção e, consequentemente, aumentar o rendimento dos agricultores gaúchos.

"O objetivo é trabalhar grupos que possam produzir no meio rural em um patamar muito mais alto de qualificação e qualidade", afirma Gilmar Tietböhl, superintendente do Senar-RS. Atualmente, 26 projetos coletivos integram o Juntos para Competir, com cerca de 100 produtores em cada grupo e um investimento total de R$ 12,3 milhões. A expectativa é que o programa atenda 3 mil trabalhadores no próximo ano.

O produtor Alexandre Becker participa do projeto desde 2012. Proprietário de uma área de 17 hectares úteis no município de Travesseiro, ele é produtor de leite e viu seu rendimento aumentar 40% desde que começou a aperfeiçoar as práticas, a partir das visitas técnicas que recebe. Medidas como a melhoria das pastagens, adubação e água disponível 24 horas por dia para os animais em todas as áreas de pasto não acarretaram grande investimento e ainda reduziram o custos. Com os resultados, Becker conta que quer seguir aprimorando a produção. "Sempre tem novas descobertas, então a busca por aperfeiçoamento é constante", diz.

Já o agricultor Marcelo Golin, de Flores da Cunha, tem 12 hectares de parreiras de uva e 10 hectares de soja em sua propriedade, e conta que a produção também melhorou. "O pessoal do sindicato divulgou o programa, amadurecemos a ideia e estamos aí, firmes", conta o produtor, que fez melhorias nos galpões e no maquinário.

Todas as componentes das cadeias produtivas estão incluídas no programa, desde a produção, passando pela industrialização ou transformação até a comercialização do produto. "Nosso desafio é propor alternativas viáveis e que, em última análise, gerem uma agregação de valor para os produtores rurais. Temos trabalhado muito a qualidade do produto, o escalonamento da produção e a questão da segurança alimentar", explica Aguinaga.

Além disso, a preocupação com o meio ambiente e o investimento em tecnologia são focos do programa Juntos para Competir, destaca o gerente de agronegócios do Sebrae-RS, João Paulo Kessler. Uma das linhas de trabalho contribui para a sustentabilidade a partir de sistemas integrados de produção, que aliam a agricultura à pecuária. "Procuramos sempre levar inovação tecnológica, buscar o que está sendo feito de mais moderno nas instituições de pesquisas e universidades e aproximar isso do produtor rural, com base em cada diagnóstico", explica Kessler.

voltar
© Copyright 2019