Quadrilha que traficava drogas sintéticas em voos nacionais é presa no Rio Grande do Sul

Polícia Civil do Rio Grande do Sul deflagrou, na manhã desta quinta-feira (15), a Operação Ajax, contra tráfico de drogas em oito cidades do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, Canoas, Nova Santa Rita, Cachoerinha, Torres, Guaporé, São José do Norte e Pelotas. Dezoito pessoas foram presas até às 8h, segundo a Polícia, inclusive o que seria o líder da quadrilha. As equipes seguem nas ruas.

A investigação da quadrilha, descrita pela polícia como agressiva e violenta, foi iniciada há dois anos e meio. Apreensões de drogas foram realizadas, e outras 16 pessoas foram presas neste período. Com isso, o total de presos está em 34.

Segundo o delegado Thiago de Almeida Lacerda, da 2ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico e um dos titulares da investigação, a investigação iniciou a partir de um homem, que tinha ligação com uma organização criminosa em Nova Santa Rita. "Através deste indivíduo, conseguimos chegar na quadrilha", relata.

Transporte de drogas sintéticas por voos nacionais

O diretor de investigações do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), Mário Souza, explica que a organização atuava em duas células: drogas sintéticas e convencionais. As sintéticas eram enviadas coladas ao corpo de integrantes da quadrilha, em voos nacionais, que não exigem raio-x para o embarque, de acordo com a Polícia. Dessa forma, conseguiam passar pela fiscalização sem serem notados.

Com este procedimento, a quadrilha abastecia o mercado de drogas sintéticas fora do Rio Grande do Sul, em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. A polícia estima que ao menos 10 voos eram realizados por mês por integrantes da quadrilha.

Já as drogas convencionais eram transportados pela malha rodoviária, e abasteciam principalmente o estado.

A quadrilha é suspeita de ao menos 15 homicídios, e tinha a prática de ameaçar policiais militares, além de obrigar pessoas da comunidade, especialmente em Nova Santa Rita, a cometerem crime de tráfico. "A organização está sendo desmantelada e não vai mais compelir pessoas a traficar drogas", pontuou o chefe da Polícia Civil, Emerson Wendt,

São 350 agentes que integram a ação, cumprindo 86 ordens judiciais na operação, dos quais 51 são mandados de busca e apreensão, e o restante, de prisão.

Fonte: Do G1 RS

voltar
© Copyright 2019