Quarta terá novas homenagens às vítimas do acidente na Colômbia

A terça-feira (29) foi de mobilização para ajudar e dar todo o apoio necessário aos familiares das vítimas da tragédia com o voo da Chapecoense. Homenagens foram realizadas ao longo de todo o dia.

Começou com torcedores se deslocando até à Arena Condá pela manhã. A maioria consternada chegava chorando. Um santuário foi improvisado num dos muros do estádio, com velas acesas, flores e cartazes com mensagens de carinho e lembrança das vítimas.

Ao fim da tarde, uma missa com milhares de pessoas foi rezada na Catedral Santo Antônio, que fica próxima ao estádio. Em frente à igreja, após as orações, o próprio padre puxou cânticos da torcida da Chapecoense. Num momento de muita emoção, famílias inteiras choravam.

O evento religioso foi sucedido por uma passeata até a Arena Condá. A Chape, como é carinhosamente chamada, abriu as arquibancadas e torcedores voltaram a entoar cânticos, como, por exemplo, o de "é campeão", numa referência à final da Sul-americana que seria jogada nesta contra o Atlético Nacional, na Colômbia. O momento mais emocionante foi quando um menino vestido de índio, que é o mascote da Chapecoense, caminhou pelo gramado e depois desabou no choro.

Para esta quarta-feira (30), está programada uma vigília, às 21h45, que seria o horário do jogo pela Sul-americana. Também já ficou marcado um abraço simbólico na Arena Condá no próximo domingo, que seria o último jogo da equipe catarinense pelo Campeonato Brasileiro. Mas torcedores já disseram que pretendem estar a todo momento no estádio para dar força aos familiares das vítimas.

GAUCHA

voltar
© Copyright 2019