Quase 30 mil gaúchos perderam o plano de saúde em 2016

Já noticiamos que o plano de saúde foi o principal motivo de alta da inflação em Porto Alegre em 2016. Um alta superior a 13%, o que foi mais do que o dobro da inflação em geral medida pela Fundação Getúlio Vargas.

Isso, junto com o desemprego, certamente levaram ao número divulgado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar: 28,8 mil pessoas deixaram de contar com planos de saúde no ano passado no Rio Grande do Sul. Na Região Sul toda, foram quase 100 mil pessoas. No Rio Grande do Sul, o número representou uma retração de 1,1%.

Superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro reforça que a variação se deve, em grande parte, ao cenário econômico negativo.

– Foram cortados 263,4 mil empregos formais na região Sul ao longo do ano passado. Como os planos coletivos empresariais (aqueles fornecidos pelas empresas aos seus colaboradores) ainda representam a maior parte dos planos médico-hospitalares no País, é natural que o número de vínculos apresente retração junto com o saldo de empregos formais.

E poderia ter sido pior.

– Como o plano de saúde é o terceiro maior desejo do brasileiro, atrás apenas da casa própria e da educação, os beneficiários de planos de saúde, mesmo desempregados, optam por cortar outros gastos antes de romper o vínculo com a operadora.

voltar
© Copyright 2019