Rede Leite mostra crescimento econômico e bem-estar em Catuípe

Família de agricultores de Catuípe mostra trajetória de vida e revela crescimento econômico e satisfação pessoal com atividade leiteira após ingresso na Rede Leite – Programa em Rede de Pesquisa-desenvolvimento em Sistemas de Produção com Atividade Leiteira no Noroeste do Rio Grande do Sul. O relato, feito pelo casal Cristina e Mauro Daronco, ocorreu durante o Encontro da Rede Leite, realizado no dia 19 de março, na pequena propriedade do casal, em Passo dos Burmann, interior de Catuípe.

O Encontro da Rede Leite foi organizado pela Emater/RS-Ascar e reuniu aproximadamente 50 pessoas, a maioria, agricultores e extensionistas da Emater/RS-Ascar de 11 municípios do Noroeste gaúcho, além de técnicos da secretaria municipal de Agricultura, e sociólogo da Embrapa Pecuária Sul, Jorge Sant’Anna. “A Emater/RS-Ascar agradece à Cristina e Mauro Daronco por terem aberto ‘a porteira’ da propriedade para a realização do evento”, disse a chefe do escritório da Emater/RS-Ascar de Catuípe, Cláudia Gaspar Pereira Nunes.

Evolução

Uma fatalidade, a morte do pai de Mauro, em 2004, fez com que ele abandonasse o emprego em um supermercado da cidade e Cristina, o emprego em um posto de combustível para regressarem à casa da mãe dele, dona Veroni. No ano seguinte, o jovem casal comprou duas vacas e começou a vender queijo. Quando nasceu a primeira filha, Letícia, a produção de leite era de 25 litros/dia. Em 2009, o casal lembra bem, nasceu o segundo filho, Matheus, e eles compraram um resfriador de imersão de 200 litros.

Um desafio foi colocado no horizonte do casal Daronco. Os extensionistas da Emater/RS-Ascar passaram a frequentar a propriedade em 2012 e sugeriram a eles aumentar a produção de leite para 100 litros/dia. No ano seguinte, em 2013, Cristina e Mauro ingressam na Rede Leite.

Entre as várias conquistas, eles mencionaram a realização de um sonho, obter a escritura da propriedade. Eles também mencionaram a compra de trator, matrizes leiteiras, ajustes do açude, compra de resfriador de 1.100 litros, compra de butijão para inseminação, construção da sala de ordenha e instalação de sistema de irrigação.

Cristina e Mauro Daronco superaram o desafio proposto pela Emater/RS-Ascar. De 25 litros/dia a produção de leite atualmente é de 500 litros/dia. O potreiro, que antes acomodava duas vacas, atualmente abriga 27 vacas em lactação, com produtividade média de 18 litros/vaca/dia.

Outro sonho realizado, na garagem da família, o antigo fusca deu lugar a uma caminhonete.

Informações
Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar Regional de Ijuí
Jornalista Cleuza Noal Brutti

voltar
© Copyright 2019