Rio Grande do Sul registra recorde de transplantes em 2015

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) apresentou na manhã desta quarta-feira (27) os dados sobre os transplantes realizados em 2015 no Rio Grande do Sul. Durante a apresentação, o secretário  da saúde do Estado, João Gabbardo, detalhou os resultados do último ano. Em 2015, foram realizados 2.274 transplantes. O número é o maior em comparação com 2014, quando foram realizados 2.075 transplantes.

De acordo com Gabbardo, a intenção é ampliar o número de transplantes neste ano. "O número de transplantes em 2015 foi bastante satisfatório, mas ainda precisamos melhorar muito. Queremos que esse número seja maior neste ano", afirmou.

Na lista dos órgãos que mais foram transplantados aparecem os rins com 557 transplantes, seguido de medula óssea com 187, do fígado com 148, de pulmão com 53 e coração com 17.

Em relação aos medicamentos que os pacientes precisam tomar depois do transplante, a novidade fica em relação a retirada dos remédios. Antes, o paciente precisava ir até a farmácia do Estado para realizar a retirada. Agora, a Secretaria da Saúde vai disponibilizar, com cerca de três meses de antecedência, os remédios para os hospitais nos quais os pacientes recebem atendimento.

O custo do Estado com os medicamentos para pessoas transplantadas gira em cerca de R$ 20 milhões por ano. De acordo com a Secretaria da Saúde, o número de transplantes só não é maior em razão das famílias que não autorizam a doação de órgãos. De acordo com João Gabbardo, a educação é o principal trunfo para aumentar a doação de órgãos.

"A pessoa que quer ser doadora precisa falar para a família que quer ser doadora. Dificilmente a pessoa que manifestou interesse em doar terá a negativa da família depois da morte, afirmou. 

voltar
© Copyright 2019