Romildo lista Arena, título gaúcho e base como prioridades para mandato

 

Reeleito presidente do Grêmio com a maior diferença no voto direto do associado, Romildo Bolzan Júnior terá mais três anos no comando do clube gaúcho. Algumas das suas prioridades foram listadas minutos após o anúncio do resultado na eleição – o hino gremista mal havia acabado de tocar nas caixas de som do auditório da Arena. O mandatário quer resolver, enfim, a negociação para ter a gestão do estádio, investir todo e qualquer centavo sobrando – se é que sobrará – no CT de Eldorado do Sul, que abriga a categoria de base, e quebrar a hegemonia de seis anos do rival no Campeonato Gaúcho.

Claro que o carro-chefe de Romildo será a manutenção de sua política de redução de gastos e equalização das dívidas do Grêmio. Mas dentro do projeto, estas três são as metas prioritárias, que ainda contam com manter os jovens ativos e qualificar o elenco. Mas são três pontos-chaves dentro da gestão por estarem extremamente conectados. 

 

– Continuar o processo de adequação, ver o Grêmio definitivamente equilibrado, com fonte de receitas organizadas e despesas. Concluir o assunto Arena até o ano que vem, vencer a Copa do Brasil e logo em seguida ser campeão gaúcho no início do ano que vem. Depois, mais títulos pela frente – disse, ao responder sobre suas aspirações para os próximos três anos.  

O título gaúcho traria um clima de otimismo para o ano. Nos últimos seis anos, o Grêmio não ganhou o Gauchão. Em 2016, nem chegou na decisão – caiu para o Juventude, na semifinal. A quebra de hegemonia do Inter no certame estadual faz o clima para o ano melhorar, com a torcida iniciando o ano junto com o time, como nesta reta final de 2016.  

O processo encabeçado por Romildo para ajustar as finanças do Tricolor passa direto por assumir a gestão da Arena. Claro que isso trará despesas. Mas a crença é que, com fluxo de caixa advindo das bilheterias do estádio, irá ajudar o clube. Além disso, abre possibilidade de novas receitas, como aumento dos ganhos pelo quadro social e outras fontes além do futebol. Assim, o clube conseguirá investir na base. 

Atualmente, a negociação está toda alinhavada com a OAS, bancos e demais partes. No entanto, há pendências de parte da construtora com a prefeitura de Porto Alegre no que diz respeito às contrapartidas para a construção do estádio. E isso trava a resolução do negócio para que a gestão fique com o clube. A intenção é ter a situação resolvida até março de 2017. 

O Centro de Treinamento de Eldorado abriga as categorias inferiores do clube. Mas não tem as condições semelhantes ao CT do time profissional, próximo da Arena. Com maior investimento para a base, a chance de novos Luans e Walaces, jovens valorizados com a medalha de ouro olímpica no peito, teoricamente aumenta. E também dá novos ativos para o Grêmio lucrar em negociações. 

– Gostaria muito de ter feito, não o fiz por questões financeiras, de dar uma grande estruturada na base do Grêmio em Eldorado. Tenho vontade enorme de fazer isso, projeto está pronto, estamos buscando captação de R$ 8 milhões. Teria enorme vontade de ter iniciado uma reformulação bastante importante de alojamento, fisiologia, fisicultura, campos, vestiários, em Eldorado. Se tiver que fazer investimento no clube, vou deixar nossas sobras para o CT de Eldorado – comentou Romildo. 

Como último ato de sua primeira gestão, o presidente tenta o título da Copa do Brasil. As decisões com o Atlético-MG ocorrem dias 23 e 30, em Belo Horizonte e Porto Alegre, respectivamente. O clube gaúcho diminui o ritmo no processo de planejamento de 2017 por conta das finais da competição nacional, título que não conquista desde 2001. 

Globo Esporte

voltar
© Copyright 2019