RS espera vacinar 5 milhões de animais na 2ª etapa contra febre aftosa

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul informou que a segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa, que começa neste domingo (1º), deve imunizar cerca de 5 milhões de animais, entre bovinos e bubalinos de 0 a 24 meses de idade. Em todo o País, o Ministério da Agricultura prevê a vacinação de aproximadamente 147 milhões de animais com a campanha, que ocorrerá ao longo de todo o mês de novembro.



A meta do RS é chegar a uma cobertura superior a 90%. "Tivemos uma grande participação dos produtores na primeira etapa, o que permitiu um elevado porcentual de imunização. Queremos seguir com este compromisso agora para a vacinação de novembro, para que possamos continuar protegendo nosso rebanho", afirma o secretário Ernani Polo.



O Departamento de Defesa Agropecuária da secretaria disponibilizará a doação de 2 milhões de doses de vacinas contra a febre aftosa aos produtores inscritos no Programa Nacional de apoio à Agricultura Familiar (PRONAF) ou no Programa Estadual de Desenvolvimento da Pecuária de Corte Familiar (PECFAM), e que possuírem até 30 bovinos ou bubalinos no seu rebanho, por núcleo familiar. Estima-se que 230 mil produtores estarão aptos ao recebimento gratuito das doses, ou seja, 65% da categoria.



De acordo com o governo gaúcho, os demais produtores deverão adquirir as doses necessárias em casas agropecuárias credenciadas. Após a aplicação, todos os produtores deverão comprovar a vacinação através da apresentação da nota fiscal de compra e declaração da quantidade de animais vacinados, por categoria, nas Inspetorias de Defesa Agropecuária da secretaria. O prazo máximo para a comprovação da vacinação é 05 dias úteis depois do 30 de novembro, data do término da campanha.



A maioria dos Estados vacina todas as faixas etárias dos bovinos e bubalinos, exceto os estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Tocantins e o Distrito Federal. Em Santa Catarina, não há vacinação – o Estado é reconhecido como livre de febre aftosa sem vacinação. No Pantanal, todo rebanho é vacinado.

voltar
© Copyright 2019