Senado aprova e MP do Futebol vai para sanção da presidente

A MP do Profut foi aprovada pelo Senado no início da noite desta segunda-feira. Após ser aprovada na Câmara dos Deputados, na semana passada, o texto havia trancado a pauta no plenário para ser avaliado pelos senadores por conta do pouco tempo que o documento tem de validade, que expira na próxima sexta-feira. Com a aprovação, a MP do Profut precisa agora ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff, o que deve ocorrer até o final desta semana. 



“Essa MP é um grande momento para que podemos retomar os melhores caminhos para o futebol nacional”, afirmou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). 



Para o texto ser aprovado, houve um acordo entre as lideranças dos partidos no Senado para que houvesse uma avaliação excepcional por parte dos senadores em relação à proposta cujo ponto principal é o refinanciamento da dívida fiscal dos clubes de futebol. O acordo foi uma solicitação de vários parlamentares e que foi acatado pelo presidente do Senado.



“O mais importante dessa MP, que veio para salvar os clubes, é a responsabilidade de gestão sobre os dirigentes brasileiros. Falo isso como dirigente esportivo que fui por 20 anos”, afirmou o senador Zezé Perrella (PDT-MG), que foi presidente do Cruzeiro. 



Apesar da aprovação, o conteúdo da MP do Profut não agradou a todos os parlamentares. Um dos mais insatisfeitos era o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), que abordou as mudanças ocorridas no texto durante o trâmite na Câmara dos Deputados em sua fala em plenário.



“Essa MP teve profundas mudanças em seu texto por parte dos parlamentares ligados à ‘bancada da bola’, como retirar do texto original o artigo que tornava a Seleção Brasileira um Patrimônio Cultural. De qualquer forma, apesar das mutilações, a MP como está é um avanço – comentou Rodrigues. O texto recebeu seis votos contra, entre eles o do ex-jogador Romário (PSB-RJ). 



Veja abaixo as principais contrapartidas aos clubes para refinanciarem suas dívidas fiscais e os pontos importantes que ficaram de fora do texto. 



O QUE ESTÁ DENTRO DA MP



Gastos

Limite de até 80% para gastos com salários e direitos de imagem. O restante fica para outras despesas.



CND

Clubes terão que apresentar a CND junto à Receita para disputar as competições. Caso contrário, poderão ser rebaixados de divisão.



Clube-empresa

Estimula os clubes de futebol a se tornarem uma sociedade empresária oferecendo uma única taxa de imposto de 5%.



O QUE FICOU DE FORA DA MP



Voto nas federações

Medida alterava o sistema de voto nas federações de futebol considerando a tradição dos clubes de futebol em seus estados.



Seleção como patrimônio

Tornava a Seleção um Patrimônio Cultural, fazendo a CBF ser mais transparente por usar símbolos do país como hino e bandeira.



Déficit zero

Apesar de impor um controle do déficit operacional, texto foi alterado e possibilitará aos clubes terem um déficit de até 5% ao ano.

voltar
© Copyright 2019