Servidores estaduais decidem nesta sexta-feira rumos da greve no RS

Os rumos da greve dos servidores estaduais serão definidos nesta sexta-feira (4), em uma reunião na sede do Cpers, em Porto Alegre. Sindicatos ligados a 43 categorias irão decidir se a paralisação no Rio Grande do Sul termina amanhã ou se ela prosseguirá na próxima semana.

Os servidores estão em greve desde segunda-feira, em protesto pelo parcelamento de salários. O Cpers, sindicato dos professores, já definiu que irá permanecer em greveaté o dia 11.

Nesta tarde, diversas categorias de servidores estaduais participaram de audiências públicas na Assembleia Legislativa e realizaram um ato em frente ao Palácio Piratini. Cerca de 2 mil pessoas estavam na manifestação, de acordo com a Brigada Militar.

Enquanto um grupo protestava do lado de fora, representantes de servidores e deputados estaduais da oposição se reuniram com o secretário da Casa Civil, Márcio Biolchi, para pedir a retirada do projeto da Lei de Responsabilidade Fiscal. A proposta, que controla os gastos com pessoal e com os poderes estaduais, tramita no Legislativo.

Biolchi afirmou aos servidores que não pode retirar a matéria, mas ressaltou que o projeto seguirá tramitando fora do regime de urgência e poderá sofrer alterações, seja por emendas ou por uma retificação no texto. 

"Nós já avançamos em dois pontos em relação a esse texto, e vamos fazer um estudo dessas propostas que foram elencadas hoje nessa audiência pública, para ver se é possível trabalharmos mais em algum ponto de aperfeiçoamento. Enquanto isso, o projeto fica a Assembleia", explicou Biolchi.

"O governo quer negociar sobre o projeto, acho que isso é importante. Essa é a novidade que houve aqui hoje. Essa conversa com o Márcio Biolchi foi importante para discutirmos o projeto", afirmou o presidente do Sindicato dos Agentes da Polícia Civil (UGEIRM), Isaac Ortiz, que participou da reunião.

O ato dos servidores em frente ao Piratini terminou por volta das 16h.

voltar
© Copyright 2019