Supremo adia decisão sobre prisão do senador afastado Aécio Neves

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta terça-feira (20), adiar o julgamento sobre o pedido de prisão preventiva feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). Ainda não há data para a retomada do julgamento.

Na mesma sessão, os ministros concederam prisão domiciliar para Andrea Neves (irmã de Aécio), Frederico Pacheco (primo do senador) e para o ex-assessor parlamentar Mendherson Souza Lima – apontado como operador de propina do tucano. Os três deverão usar tornozeleira eletrônica.

O adiamento da decisão sobre Aécio foi tomado depois que a defesa do senador fez um novo pedido para levar o processo para o plenário do STF, formado por 11 ministros – a Primeira Turma tem cinco ministros.

A prisão e o afastamento de Aécio Neves foram pedidos, segundo a PGR, para evitar que o parlamentar atrapalhe as investigações nas quais já foi acusado pelos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça. O tucano está afastado do cargo desde o dia 18 de maio.

ZERO HORA

  •  

voltar
© Copyright 2019