Vacina de Oxford terá testes em crianças e adolescentes

A vacina de Oxford, que está sendo aplicada no Brasil contra a Covid-19, será submetida a testes em crianças e adolescentes, conforme anunciou neste sábado a Universidade de Oxford, no Reino Unido, que desenvolveu o imunizante junto à farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca. A vacina será produzida no país pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro.

Trata-se do primeiro estudo da vacina nessa faixa etária. A CoronaVac, Janssen e Pfizer já anunciaram que também estão com testes em andamento nesses grupos. A previsão é que os testes tenham início ainda neste mês.

O teste vai avaliar se crianças e jovens entre 6 e 17 anos apresentam uma boa resposta imunológica com o vacina ChAdOx1 nCoV-19, como é chamada. Esse estudo clínico de fase 2 vai recrutar 300 voluntários – ao todo são 3 fases. Ao menos 240 vão receber a vacina, enquanto o restante, que será o grupo de controle, vai tomar a vacina contra meningite, que é segura em crianças e espera-se que se produza reações semelhantes, como dor no local da aplicação.

“Embora a maioria das crianças não seja relativamente afetada pelo coronavírus e provavelmente não adoeça com a infecção, é importante estabelecer a segurança e a resposta imunológica à vacina em crianças e jovens, pois alguns deles podem se beneficiar com a imunização. Esses novos testes ampliarão nossa compreensão do controle do SARS-CoV2 para grupos dessas idades”, afirmou Andrew Pollard, professor de Infecção Pediátrica e Imunidade da Universidade de Oxford e principal autor do estudo, por meio de nota.

 

Correio do Povo

voltar
© Copyright 2019