Vacinação contra Covid no RS: veja perguntas e respostas

Começou nesta segunda-feira (18), em uma cerimônia simbólica no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, a vacinação contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul.

Devido ao número reduzido de doses (341,8 mil), poucos grupos prioritários vão ser imunizados neste primeiro momento. Como são duas injeções para imunizar cada pessoa, 170,9 mil gaúchos devem ser vacinados.

O número representa 1,49% da população gaúcha, que é de 11,4 milhões de pessoas. A fase inicial começa nesta terça (19 ).

Na Capital, estão previstas quatro etapas de vacinação, começando pelos grupos prioritários, como idosos asilados e profissionais da saúde.

Quem será vacinado na primeira etapa no estado do Rio Grande do Sul?

 

A primeira remessa recebida nesta segunda-feira (18) vai imunizar, segundo o governo do RS, 170,9 mil gaúchos. O grupo prioritário é formado pelos seguintes segmentos:

  • Trabalhadores da Saúde
  • Idosos (que estão em instituições de longa permanência)
  • População indígena

 

Entretanto, não há vacina para todos os que estão nesses grupos prioritários. Cada município vai definir as regras dentro desses segmentos.

Quem será vacinado na 1ª etapa na Capital?

 

  • profissionais de saúde
  • pessoas em instituições de longa permanência de idosos (abrigos)
  • idosos acima de 75 anos
  • pessoas com deficiência
  • quilombolas
  • indígenas acima de 18 anos

 

A vacina tem quantas doses?

 

Cada pessoa que for vacinada pela CoronaVac vai receber duas doses, com intervalo de duas ou três semanas. O governo anunciou que estão previstos 51,6 mil imunizantes para a primeira dose dos moradores da Capital.

Qual o calendário de vacinação para os outros grupos?

 

Não há previsão para o início da vacinação de outros grupos. O governo informou que vai se planejar à medida que as doses forem chegando – o Ministério da Saúde faz a distribuição de acordo com a entrega das vacinas.

Qual vacina será aplicada?

 

Por enquanto, duas vacinas foram aprovadas para uso emergencial no Brasil. A CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan chegou nesta segunda (18).

A vacina de Oxford, desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ainda não está disponível.

Quantas pessoas serão vacinadas em cada município?

 

Acompanhe a tabela abaixo da Secretaria de Saúde do RS, dividida por Coordenadoria Regional de Saúde.

Doses da CoronaVac para o RS, Fase 1

Região Doses
Porto Alegre 51.600
1ª Coordenadoria com sede em Porto Alegre (65 cidades) 26.000
2ª Coordenadoria com sede em Frederico Westphalen (26 municípios) 4.360
3ª Coordenadoria com sede em Pelotas (22 municípios) 12.400
4ª Coordenadoria com sede em Santa Maria (32 municípios) 8.400
5ª Coordenadoria com sede em Caxias do Sul (49 municípios) 14.000
6ª Coordenadora com sede em Passo Fundo (62 municípios) 10.200
7ª Coordenadoria com sede em Bagé (6 municípios) 1.760
8ª Coordenadoria com sede em Cachoeira do Sul (12 municípios) 2.720
9ª Coordenadoria com sede em Cruz Alta (13 municípios) 1.920
10ª Coordenadoria com sede em Alegrete (11 municípios) 4.000
11ª Coordenadoria com sede em Erechim (33 municípios) 5.360
12ª Coordenadoria com sede em Santo Ângelo (24 municípios) 3.560
13ª Coordenadoria com sede em Santa Cruz do Sul (13 municípios) 4.400
14ª Coordenadoria com sede em Santa Rosa (22 municípios) 2.360
15ª Coordenadoria com sede em Palmeira das Missões (26 municípios) 6.040
16ª Coordenadoria com sede em Lajeado (37 municípios) 4.240
17ª Coordenadoria com sede em Ijuí (20 municípios) 3.200
18ª Coordenadoria com sede em Osório (23 municípios) 4.280

Quais serão as fases de vacinação?

 

De acordo com o plano nacional de imunização, as três primeiras fases incluem os seguintes grupos:

  • Primeira fase: trabalhadores de saúde; pessoas de 75 anos ou mais; pessoas de 60 anos ou mais institucionalizadas; população indígena aldeado em terras demarcadas; povos e comunidades tradicionais ribeirinhas.
  • Segunda fase: Pessoas de 60 a 74 anos.
  • Terceira fase: pessoas com comorbidades.

 

Ainda não está definido em qual fase serão inseridos os demais grupos prioritários. Segundo o governo, a decisão depende de aprovação das vacinas e disponibilidade.

Há seringas e agulhas suficientes?

 

O governo do Rio Grande do Sul afirma ter 4,5 milhões de seringas em estoque e já abriu processo de compra para mais 10 milhões de unidades. Além disso, tem 5 milhões de agulhas que podem ser usadas em outras seringas caso necessário.

Quais são os pontos de vacinação?

 

As imunizações serão feitas em postos de saúde. Segundo a Secretaria Estadual, cada município deve definir em quais locais fará a aplicação da vacina.

Em casos de grupos prioritários como idosos em casas de repouso, aldeias indígenas e profissionais da saúde em hospitais, as doses serão levadas até eles.

Preciso levar algum documento ou me cadastrar em algum site?

 

Não. Todas as pessoas serão vacinadas, mesmo que não apresentem algum documento. Basta comprovar que pertence ao grupo prioritário correspondente à fase da vacinação.

No entanto, para fazer o controle, o Ministério da Saúde diz que é importante informar o número do CPF ou apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) – o Cartão do SUS.

Caso a pessoa não esteja cadastrada nas bases de dados do Ministério da Saúde, o profissional no posto de saúde poderá registrá-lo no momento do atendimento.

É verdade que o Ministério da Saúde está fazendo um agendamento para receber a vacina?

 

Não é verdade. Em nota, o Ministério da Saúde disse que não realiza agendamento para aplicação de nenhum tipo de vacina, e nem envia códigos para celular dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Não sou grupo de risco, não sei quando serei vacinado pelo SUS. Poderei comprar a vacina em uma clínica particular?

 

Ainda não há uma previsão de quando as clínicas particulares conseguirão comprar lotes das vacinas contra a Covid-19 que forem aprovadas no Brasil.

A orientação dos órgão de saúde nacionais e internacionais é que todas as doses produzidas pelos laboratórios neste primeiro momento sejam direcionadas aos governos, com a finalidade de garantir que as pessoas dos grupos de risco sejam imunizadas o mais breve possível.

Onde será feita a vacinação na Capital?

 

A Prefeitura de Porto Alegre informou que não haverá vacinação em postos de saúde no momento. À medida em que as doses chegarem, os locais serão definidos, até alcançarem 24 postos.

Também haverá uma capacitação em hospitais para aplicação do imunizante em seus profissionais que atuam UTIs. Eles serão vacinados nos próprios locais de trabalho.

Idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPIs), pessoas com deficiências, acamados, indígenas e quilombolas serão imunizados por equipes da secretaria, que irão até os locais onde eles estiverem, mediante agendamento.

A prefeitura informou que firmará parcerias com redes privadas de farmácias e montará drive-thrus para atendimento.

G1 RS

voltar
© Copyright 2019