Vendas de Natal se mantêm estáveis nas lojas e sobem em supermercados do RS

As vendas para o Natal tiveram em 2017 um resultado semelhante ao do ano passado nas lojas do Rio Grande do Sul, segundo aponta a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV). Já em relação aos supermercados, a alta foi de 5%, de acordo com a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas).

O presidente da AGV, Vilson Noer, afirma que houve as lojas de todo o estado um aumento de 3% a 4% em relação a 2016. "Mas tirando a inflação, de cerca de 3%, fica de 0% a 1%, praticamente o mesmo que no ano passado", pontua o dirigente.

Noer acredita que a estabilidade é um sinal de aquecimento na economia, e vê nos números uma esperança de que o próximo ano seja melhor para os comerciantes. "Estamos trabalhando para termos em 2018 um crescimento em torno de 6% a 7%, em função do aumento da renda e do emprego, que já estão acontecendo", afirmou.

Na avaliação da entidade, o calendário de 2017 atrapalhou os estabelecimentos. "[O Natal] caiu em uma segunda-feira. Praticamente perdemos dois dias de venda, porque o dia 24 foi domingo e, na maioria das cidades do estado, não se trabalha domingo devido a acordos com sindicatos. E sábado foi um dia de muita chuva, e a maioria das lojas do estado são de rua", lamenta.

O crescimento da Black Friday, data promocional de novembro, também foi visto como um obstáculo. "O Black Friday é aniquilador, é muito concorrencial", justifica. "Mas é claro que é uma festa importante dos consumidores, e o lojista deve participar", ressalva.

Se o calendário atrapalhou os lojistas, beneficiou os supermercados. Na avaliação da Agas, o fato do Natal cair na segunda-feira levou os consumidores a visitarem com mais calma os supermercados no final de semana.

"Houve uma intenção crescente de compartilhar esta data com mais pessoas. Os gaúchos compraram muitos pequenos presentes e apostaram em pratos típicos para a ceia, mostrando o crescimento das crenças e tradições", afirmou o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo.

Cestas e maletas de Natal tiveram alta de 15% nas vendas. Entre os presentes, pequenos carrinhos e bonecas de baixo custo foram os carros-chefes em vendas, além das caixas de bombons, que registraram crescimento de 5% na comercialização. O destaque entre os alimentos foi a alta de 15% dos cortes suínos de 8%, em, média, nas aves natalinas.

"Nesta semana, a lentilha, os espumantes e demais bebidas serão os itens mais procurados. Na terça-feira ainda haverá a ressaca do Natal, mas na quarta-feira as lojas retomarão o movimento com vistas à festa da virada de ano. Ainda temos 20% das vendas do mês a serem buscadas até o fim de 2017", projeta Longo.

voltar
© Copyright 2019